2022/Maio. O fim de um capítulo para o Museu Coleção Berardo

A 26 de maio, o ministro da Cultura, Pedro Adão e Silva, anunciou a denúncia de um protocolo, com efeitos a partir de 1 de janeiro de 2023, sobre a coleção de arte do empresário José Berardo – que compõe o Museu Coleção Berardo -, e ao mesmo tempo revelou que essa coleção será integrada no futuro Museu de Arte Contemporânea de Belém, a criar no CCB.

Inaugurado há 15 anos, a 25 de junho de 2007, o Museu Coleção Berardo foi criado na sequência de um acordo assinado em 2006 para cedência gratuita ao Estado de uma coleção com 862 obras de arte de Joe Berardo.

Em 2016, concluídos os 10 anos do acordo, foi assinada uma adenda para prolongamento por mais seis anos, com a possibilidade de ser renovada automaticamente, se não fosse denunciado por qualquer das partes nos seis meses antes do fim do protocolo. O Estado acabou por decidir não renovar o contrato.

A coleção – que continua patente no CCB – chegou a ser avaliada pela leiloeira Christie’s em 316 milhões de euros e inclui obras de artistas como Miró, Mondrian, Duchamp, Picasso, Chagall e Andy Warhol, assim como de artistas portugueses como Rui Chafes, José Pedro Croft, Jorge Molder e Fernanda Fragateiro.

Ao longo de 15 anos, além das 862 obras de arte, a coleção foi enriquecida com mais 247 obras, entre aquisições e doações de artistas, disse à Lusa fonte do Museu Coleção Berardo.

A coleção de arte ficou envolta em polémica – e há cerca de 2.200 obras judicialmente arrestadas – por causa de dívidas de Joe Berardo à CGD, ao Novo Banco e ao BCP, que pretendem apreendê-la como créditos para pagar uma dívida global de quase mil milhões de euros.

Em maio, Pedro Adão e Silva disse que, no meio deste processo judicial, a prioridade é garantir a fruição de uma coleção notável”, assegurar a sua segurança e conservação, e que, quando os tribunais decidirem sobre a propriedade das obras, “o Estado irá negociar os termos de um novo protocolo, com quem for o seu legítimo proprietário”.

Sobre o futuro museu de arte contemporânea no CCB, sabe-se que a intenção do Governo é que inclua várias coleções de arte.

Além da Coleção Berardo, o museu albergará a Coleção Ellipse, constituída pelo ex-banqueiro João Rendeiro, do BPP, e que, por decisão do Governo, passará para a tutela pública, integrada na Coleção de Arte Contemporânea do Estado (CACE).

Numa espécie de balanço sobre o Museu Coleção Berardo, na próxima semana é apresentado um catálogo, com 900 páginas com “uma revisão dos princípios que orientaram a construção da coleção”, explicou o museu em comunicado.

Em 15 anos, o Museu Coleção Berardo somou mais de 10 milhões de visitantes e acolheu mais de 120 exposições temporárias.

 

Outros acontecimentos de maio

O FC Porto sagra-se campeão português de futebol, pela 30.ª vez, ao vencer em casa do Benfica por 1-0, em jogo da penúltima jornada da I Liga, em 7 de maio.

O ex-Presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva apresenta, no dia 07, a sua candidatura às eleições presidenciais no Brasil. Todas as sondagens colocam Lula como favorito, à frente do Presidente, Jair Bolsonaro.

No dia 11, o Ministério Público arquiva o processo contra o ex-ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, e o seu chefe de segurança, Nuno Dias, ao não deduzir acusação pelo atropelamento mortal, em 2021, de um trabalhador na A6, perto de Évora. Mantém-se a acusação contra o antigo motorista Marco Pontes, acusado de homicídio por negligência.

A Câmara de Lisboa aprova uma proposta do Livre que determina a redução em 10 km/h da velocidade máxima de circulação permitida atualmente e a eliminação do trânsito automóvel na Avenida da Liberdade aos domingos e feriados.

Astrónomos, incluindo o português Hugo Messias, conseguem fazer, em 13 de maio, a primeira imagem do buraco negro supermaciço no centro da Via Láctea, conhecido como Sagitário A* (Sgr A*), que no céu tem tamanho comparável a um ‘Donut’ na Lua.

No mesmo dia, o antigo presidente do BPP João Rendeiro é encontrado enforcado na cadeia onde estava detido, na África do Sul, a aguardar uma decisão sobre o processo de extradição para Portugal.

O Presidente guineense, Umaro Sissoco Embaló, dissolve, no dia 16, o parlamento da Guiné-Bissau e marca eleições legislativas para 18 de dezembro.

Os embaixadores da Finlândia e da Suécia junto da NATO entregam os pedidos de adesão dos dois países à organização, no dia 18. O secretário-geral da Aliança Atlântica, Jens Stoltenberg, classifica o pedido um momento “histórico”.

Cinco funcionários da embaixada portuguesa em Moscovo recebem ordem de expulsão da Rússia, na sequência do que tem acontecido com outros países europeus durante a semana. Anúncio é feito no dia 19 e o Governo português repudia a decisão.

Em 21 de maio, o primeiro-ministro, António Costa, faz uma visita à Ucrânia. Logo à chegada a Kyiv, disse estar na Ucrânia para transmitir um sinal de apoio na luta deste país pelos seus direitos à soberania, integridade territorial e pela conquista da paz.

A dupla portuguesa Fernando Pimenta/João Duarte conquista a medalha de ouro na final A do K2 1.000 metros da Taça do Mundo de Racice, na República Checa, em 22 de maio.

O ex-líder parlamentar Luís Montenegro é eleito 19.º presidente do PSD com 73% dos votos. Derrotou, nas eleições diretas de 28 de maio, Jorge Moreira de Silva, que alcança apenas 27%.

O campeão FC Porto conquista, no dia 22, a Taça de Portugal de futebol, 18.ª do seu historial, depois de vencer na final o Tondela, por 3-1, e consegue a sua nona ‘dobradinha’.

Portugal ultrapassa, em maio, os quatro milhões de casos confirmados de infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2 desde o início da pandemia de covid-19, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Mais de um milhão de pessoas morreram devido à covid-19 nos Estados Unidos, país que ocupa o primeiro lugar em relação aos óbitos causados pela doença.

Já em 30 de maio, os chefes de Governo e de Estado da União Europeia (UE) chegam a acordo para um embargo ao petróleo russo. Estão em causa dois terços das importações europeias à Rússia.

Portugal é o primeiro país a sequenciar o genoma do vírus Monkeypox, parente do vírus que causa a varíola e na origem de um recente surto que afeta vários países onde a infeção não é endémica.

 

Frases de maio

“Ele [Zelensky] aparece na televisão de manhã, de tarde, de noite, aparece no parlamento inglês, no parlamento alemão, no parlamento francês como se estivesse fazendo uma campanha. (…) Esse cara é tão responsável [pela guerra da Ucrânia] como Putin.”

Lula da Silva, ex-presidente do Brasil, Time, 04-05-2022

 

“Não é por acaso que a guerra voltou na Europa no momento em que a geração que a viveu no século passado está a desaparecer.”

Papa Francisco, 10-05-2022

 

“É sabido e claro para nós que existiu ocultação em várias situações por membros da Igreja Católica Portuguesa. O que pedimos neste momento e em todo o trabalho futuro é que não se faça de novo ocultação da ocultação.”

Pedro Strecht, coordenador da comissão independente criada para investigar os abusos sexuais de crianças, 10-05-2022

 

“Ninguém precisa da Ucrânia. A Ucrânia é material descartável na guerra híbrida total contra a Federação Russa.”

Serguei Lavrov, ministro dos Negócios Estrangeiros russo, 17-05-2022

 

“Acabei de chegar a Kyiv, respondendo ao convite feito pelo meu homólogo ucraniano. É com emoção e respeito que aqui venho, em sinal de solidariedade para com este País e este Povo, perante a bárbara agressão russa. Portugal apoia a Ucrânia.”

António Costa, primeiro-ministro, Twitter, 21-05-2022

 

“Não é preciso a justiça portuguesa dizer o que quer que seja para sabermos que o senhor Pinto da Costa é um corruptor ativo e alguém que devia estar banido do dirigismo há décadas.”

Frederico Varandas, presidente do Sporting, 29-05-2022

 

Leia Também: 2022/Abril. O adeus às máscaras e o fim social da pandemia

Deixe um comentário