‘Ares de Verão’ transformam ruas de Braga em palcos de cultura

Em comunicado, a câmara refere que a programação arranca já na sexta-feira, com a Feira do Livro e o Festival de Teatro Mimarte.

Segundo o presidente da Câmara de Braga, Ricardo Rio, o “Ares de Verão” é uma “programação cultural muito diversificada, para todos os públicos e de acesso completamente gratuito”.

“Este programa junta algumas iniciativas já tradicionais do calendário cultural da cidade, mas traz também novidades sob a capa ‘Ares de Verão’, ares que convidam a vir à rua e a encontrar-se em duas grandes praças da cidade, nomeadamente na Praça Municipal e na Avenida Central”, referiu o autarca.

Ricardo Rio sublinhou que a “capitalidade cultural não se faz apenas com o título e com grandes eventos de massas”, antes se faz também “com este esforço de dar espaço à criatividade das diversas formas de expressão artística dos protagonistas locais e de os pôr em contacto com o público”.

O primeiro evento deste calendário é a Feira do Livro de Braga, que regressa às ruas da cidade e que evocará Maria Ondina Braga e José Saramago.

Organizada pelo Município e pela InvestBraga, esta 31.ª edição inclui conversas com escritores como João Luís Barreto Guimarães (vencedor do Grande Prémio de Literatura dst 2022), José Eduardo Agualusa, Mário Cláudio ou Margarida Rebelo Pinto.

De destacar a ida a Braga de David Satter, jornalista e historiador norte-americano, analista da realidade russa desde o período soviético, que apresentará o seu livro “Quanto menos Soubermos, Melhor Dormimos”, recentemente editado em Portugal.

O programa prevê a apresentação de 42 livros e revistas e contará com a presença de 22 livreiros e alfarrabistas.

Destaque ainda para o Grande Prémio de Literatura dst, que será entregue no dia 02 de julho, no Theatro Circo, uma iniciativa da construtora dst, mecenas da Feira do Livro de Braga.

Outro dos regressos ao calendário cultural da cidade é o Mimarte — Festival de Teatro de Braga, que terá como palco a Praça Municipal.

Este ano, o evento conta com nove propostas teatrais nacionais e internacionais, que vão da comédia ao drama, passando pelo cruzamento com outras disciplinas artísticas como a dança e o novo circo.

Do Mimarte, sobressai a estreia do espetáculo “NorthernLights”, a 04 de julho, com artistas ucranianos, que se encontram em residência artística em Braga.

Trata-se de uma parceria com a Companhia de Teatro de Braga e com a dst.

O espetáculo contará com legendagem em língua portuguesa.

Outro dos eventos do “Ares de Verão” é o Braga Blues, que terá lugar nos dias 16 e 17 de julho, na Praça Municipal.

Nos dias 29, 30 e 31 de julho, Braga volta a ser ponto de encontro multicultural, com a realização do Festival Internacional de Folclore.

A Praça Municipal irá receber grupos da Índia, Senegal, Roménia, México, Ucrânia e Polónia, além de ranchos da casa.

Já no mês de agosto, o destaque vai para o festival Limonada, um ciclo de sete concertos que acontecerá de 15 a 21, na Avenida Central, exclusivamente por bandas da cidade.

Esta iniciativa visa a promoção dos grupos musicais da cidade, proporcionando-lhes a oportunidade de se apresentarem aos seus conterrâneos.

Este ciclo de concertos terá uma vertente solidária, com a venda de limonada pelo Instituto D. João Novais e Sousa. Todos os fundos angariados reverterão para o projeto musical que é desenvolvido por aquela instituição bracarense.

O “Ares de Verão” inclui, ainda, o Noroeste – Festival de Música Contemporânea de Raiz, que nasceu no âmbito da programação do Braga 2021 – Capital da Cultura do Eixo Atlântico, numa parceria com a Arca de Sons — Associação Cultural.

Depois de uma primeira edição, que decorreu no Altice Forum Braga devido à pandemia, o evento regressa à ideia original de festival de rua, tendo como palco principal a Avenida Central.

Leia Também: Teatro Municipal do Porto apresenta 95 espetáculos na próxima temporada

Deixe um comentário