Artista plástica Lourdes Castro recebeu hoje medalha de mérito cultural

 

“A condecoração foi entregue esta tarde numa cerimónia reservada que teve lugar na residência da artista, na Madeira”, anunciou hoje o Ministério da Cultura.

O anúncio da atribuição da medalha de mérito cultural tinha sido feito em dezembro, no dia em que Lourdes Castro completou 90 anos, mas só agora foi entregue à artista plástica por Graça Fonseca.

Lourdes Castro ocupa “um espaço insubstituível na história da arte mundial” e a condecoração é “um mais que justo reconhecimento, não só pelo seu talento e criatividade, mas também pela influência que exerce junto dos seus contemporâneos”, justifica o ministério.

Nascida no Funchal a 09 de dezembro de 1930, Lourdes Castro desenvolve a sua obra desde finais da década de 1950, com um percurso artístico multifacetado, de experimentação conceptual e técnica, em vários suportes.

Destaca-se a participação na criação da revista KWY, em conjunto com René Bértholo e outros artistas, e a colaboração com Manuel Zimbro. A série O grande herbário de sombras (1972) é uma das obras de referência de Lourdes Castro.

Em 2000, recebeu o Grande Prémio EDP Arte e, em 2004, foi reconhecida com o Prémio Celpa/Vieira da Silva — Artes Plásticas Consagração. Com Francisco Castro Rodrigues foi distinguida, na edição de 2010, dos prémios da Secção Portuguesa da Associação Internacional de Críticos de Arte.

Em 2015, a artista recebeu, na Capela do Rato, em Lisboa, o Prémio Árvore da Vida – Padre Manuel Antunes, atribuído pela Igreja Católica para realçar uma figura com percurso de humanismo e experiência cristã.

Leia Também: Produtora Yellow Star Company sai do Teatro Armando Cortez até julho

Deixe um comentário