Artista portuguesa explora joalharia e artes visuais em Los Angeles

 

“Gosto de misturar muitos materiais e de experimentar muito”, disse à Lusa a artista, que vive na Califórnia há quatro anos e meio. “Faço coisas um pouco místicas, com fantasia, inspiradas na natureza. Gosto de pinturas simbólicas”, descreveu.

As peças do seu estúdio, Xana Ramos Art, têm atraído o público norte-americano local e conquistaram alguma notoriedade na comunidade artística. Dois dos seus quadros foram expostos no Centro de Artes de Manhattan Beach e um deles integrou o livro da galeria.

Também uma peça de joalharia que criou em bronze, um pendente, foi selecionada para uma exposição da faculdade artística El Camino College, onde Alexandra Ramos se especializou.

A artista portuguesa, natural do Pinhal Novo, tem desenvolvido em Los Angeles a sua paixão por vários tipos de artes, combinando materiais invulgares e procurando diferentes fontes de inspiração. O mote do seu estúdio é “Enchanted Art” (“Arte Encantada”).

“Gosto de pintar com cor e vou buscar inspirações a várias coisas, como Portugal”, explicou. A combinação está patente, por exemplo, num quadro inspirado nos azulejos portugueses que a artista intitulou de “Portugalifórnia”.

“Estou a explorar-me a mim própria”, referiu. As peças que refletem esta exploração mostram uma relação forte com a natureza, a conexão ao universo e uma visão íntima da espiritualidade.

Além dos “dias abertos” no estúdio, onde o público pode ver e comprar a arte de Alexandra Ramos, a artista também faz peças por comissão, desde que o pedido se enquadre no seu género.

A portuguesa explicou também que gosta de pegar em materiais inesperados e reutilizá-los para os transformar em arte, como foi o caso de um conjunto de pedaços de madeira que iam para o luxo e acabaram por se tornar num quadro pintado.

Na joalharia, a artista trabalha com vários materiais, incluindo resina, apesar de considerar que este é um material difícil de trabalhar e com um processo demorado.

A concorrer a exposições e com o embalo da notoriedade local, Alexandra Ramos acredita que a sua arte vai chegar a mais pessoas.

“Sinto que a Xana Ramos Art ainda tem muito para crescer”, afirmou. “Tenho a certeza que não vou parar”.

Leia Também: Joalharia, relojoaria e vinho português. Eis o cabaz mais caro do mundo

Deixe um comentário