Artistas lusófonos em exposição na Semana Cultural do Fórum Macau

“Policromias lusófonas” mostra, até 11 de dezembro, as obras de Don Sebas Cassule (Angola), Luciano Dremher (Brasil), Leomar (Cabo Verde), Lemos Djata (Guiné-Bissau), Walter Zandamela (Moçambique), Maria Leal da Costa (Portugal), Olavo Amado (São Tomé e Príncipe), Jafet Potenzo Lopes (Timor-Leste) e Lio Man Cheong (Macau).

Vários temas, formas e estilos em pintura, fotografia e escultura, num “encontro de continentes e culturas”, voltam “a cimentar o papel de Macau como centro de intercâmbio cultural entre a China e os países lusófonos”, referiu a organização, em comunicado.

Em 2003, a China estabeleceu a Região Administrativa Especial de Macau como plataforma para a cooperação económica e comercial com os países de língua portuguesa Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste, através do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa (Macau).

O secretariado permanente do Fórum integra, além de um secretário-geral e de três secretários-gerais adjuntos, os nove delegados dos países lusófonos: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.

Leia Também: Exposição de 150 artistas ilustra relação Brasil-Portugal em Lisboa

Deixe um comentário