Atriz Fernanda Montenegro eleita para a Academia Brasileira de Letras

 

A falta de concorrência à cadeira vaga foi interpretada na academia como uma homenagem à atriz, um dos nomes mais aclamados do cinema, teatro e televisão do Brasil.

“Fernanda Montenegro é um dos grandes ícones da cultura brasileira. Intelectual engajada e sensível leitora do real. Sua presença enriquece os laços profundos da Academia com as artes cénicas. Com ela, adentram, luminosos, tantos, personagens, que marcaram gerações, passado, presente e futuro”, declarou o presidente da ABL, académico Marco Lucchesi.

Com quase oito décadas de carreira, Fernanda Montenegro sucederá ao académico Affonso Arinos de Mello Franco, que morreu em março do ano passado e que ocupava a cadeira 17, das 40 que compõem a ABL.

Seguindo o modelo da Academia Francesa, a ABL é constituída por 40 membros efetivos e perpétuos, apelidados de “imortais”. Além deste quadro composto por brasileiros, existem 20 membros correspondentes estrangeiros.

Quando um membro da ABL morre, a cadeira é declarada vaga numa sessão denominada “Saudade”, tendo os interessados em ocupar a vaga dois meses para se candidatarem.

Fernanda Montenegro inscreveu a sua candidatura em 06 de agosto deste ano, um dia depois do músico Gilberto Gil, outro favorito para integrar a ABL, também se candidatar a outra das vagas disponíveis.

As cadeiras que eram ocupadas por Alfredo Bosi (12), Murilo Melo Filho (20) e Marco Maciel (39) também estão livres na ABL.

Fernanda Montenegro nasceu em 16 de outubro de 1929, no bairro do Campinho, zona norte do Rio de Janeiro. Pisou num palco, pela primeira vez, aos oito anos de idade para participar numa peça na igreja, mas a sua estreia oficial no teatro ocorreu em dezembro de 1950, ao lado do marido Fernando Torres, no espetáculo 3.200 Metros de Altitude, de Julian Luchaire.

Leia Também: Fernanda Montenegro sobre incêndio na Cinemateca. “Uma tragédia”

Deixe um comentário