Castelo de Vide recebe a estreia do ‘VIDE – Festival de Artes de Rua’

Promovido pela Pé de Pano — Projetos Culturais, o ‘VIDE – Festival de Artes pela Rua’ vai se estrear naquela vila alentejana e na freguesia rural de Póvoa e Meadas, no decorrer dos dias 6, 7, 8, 13, 14 e 15 de agosto.

Em comunicado, a organização explica que o festival vai promover espetáculos de “pequeno formato” nas áreas do teatro, dança, música, narração oral, novo circo, performance e instalação, e, em paralelo, a realização de atividades na área da escrita, artes plásticas, teatro de objetos e movimento.

“Estas iniciativas irão habitar o espaço da rua, aproveitando o enquadramento de paisagens naturais e de património arquitetónico característicos da vila”, pode ler-se no comunicado.

De acordo com a Pé de Pano – Projetos Culturais, “O VIDE — Festival de Artes pela Rua”, quer reunir artistas e as suas obras neste “lugar ímpar do país”, dando a “oportunidade de acesso às comunidades” desta zona do interior à cultura.

O festival, que conta com o apoio da — Direção Geral das Artes (DGArtes) e do Município de Castelo de Vide, vai dedicar as manhãs de sábados e domingos à infância e às famílias.

A organização espera apresentar dois espetáculos de teatro: “Clarice Lispector”, dedicado à escritora brasileira, do ciclo “Anti-princesas”, de Claúdia Gaiolas, e “Muita Tralha, Pouca Tralha”, de Catarina Requeijo.

Além destes dois espetáculos, vão decorrer duas oficinas, uma de movimento com Clara Bevilaqua e Gui Caligari, e uma outra de teatro de objetos, com Sílvia Pinto Ferreira.

Pela tarde dos fins de semana em que o festival vai decorrer, os contadores de histórias vão marcar presença, estando garantida a participação de Ana Lage, António Fontinha, Carlos Marques e Ana Sofia Paiva.

Já ao entardecer, a música vai “reinar”, com O Gajo, os Parapente 700, os La Miséria Deluxe, Norberto Lobo e Valentina Parravicini e os Charanga.

Os contos noturnos vão marcar por sua vez as noites, sendo conduzidos por Ana Lage e António Fontinha, e com o espetáculo multidisciplinar “Na minha saia há um bolso”, criado a partir de histórias de namoro recolhidas na comunidade de Castelo de Vide e na freguesia rural de Póvoa e Meadas.

“Imperdíveis serão também o espetáculo de Circo Contemporâneo, Enxada da Companhia Erva Daninha, a performance/instalação Passagem dos Pia Teatro, e ainda uma nova performance da bailarina Valentina Parravicini, desta vez em dueto com Donatello Brida”, sublinha ainda a organização.

Deixe um comentário