Ciclo de Música Contemporânea em Oeiras começa hoje

 

Este ciclo realiza-se em diferentes espaços do concelho de Oeiras – do salão nobre da Câmara Municipal ao Auditório Ruy de Carvalho, em Carnaxide, passando pela Escola de Música N. S. do Cabo, em Linda-a-velha -, até 10 de outubro, e conta com ‘masterclasses’, seminários, ensaios abertos ao público e concertos por formações “dedicadas à vanguarda musical”, segundo nota enviada à agência Lusa.

“O ciclo pretende alargar os horizontes e as fronteiras da relação entre os compositores de hoje e o público de hoje”, realça a Associação Portuguesa de Compositores (APC), que organiza o CROMA.

O programa de hoje, na Câmara Municipal de Oeiras, abre às 10:00 com um seminário sobre “Boas Práticas em Criação Musical”, seguindo-se uma oficina pela compositora neerlandesa Esther Gottschalk, diretora da Associação de Compositores dos Países Baixos Nieuw Geneco, seguindo-se vários painéis durante a tarde.

Na quarta-feira, já no Auditório Ruy de Carvalho, à tarde, há um ensaio aberto e uma mesa-redonda com músicos do Quarteto de Cordas de Matosinhos, que dá um concerto às 20:30.

O auditório de Carnaxide é cenário para, no dia 07 de outubro pelas 18:30, uma mesa-redonda com o Grupo de Música Contemporânea de Lisboa, que se apresenta em concerto às 20:30.

Um dos destaques da programação são as ‘masterclasses’ pelo compositor italiano Pierluigi Billone, entre 08 e 10 de outubro, na Escola de Música Nossa Senhora do Cabo, em Linda-a-Velha, onde, no dia 09, se realizará uma mesa-redonda com os compositores Eduardo Patriarca e Iván Ferrer e músicos do grupo Vertixe Sonora, que à noite se apresenta em concerto no Auditório Ruy de Carvalho.

A programação do CROMA completa-se com uma mesa-redonda com o Lisbon Ensemble 20/21, no dia 10 de outubro, às 19:00, no Auditório Ruy de Carvalho, onde toca à noite um programa que inclui peças de João Quinteiro, Luís Neto Costa, Emmanuel Nunes e Ka’mi.

A curadoria do CROMA é de Pedro Pinto Figueiredo, João Quinteiro e Nuno Henriques, da direção da APC.

 

 

Deixe um comentário