Ciclo de Requiem arranca no digital e termina com concerto presencial

 

Entre sexta-feira e domingo, a organização do ciclo promove três sessões diárias de ‘Stabat Mater’, do compositor italiano do período barroco Pergolesi, que serão apresentadas através de uma sala virtual na plataforma BOL, afirmou a presidente da associação Ecos do Passado, Maria do Rosário Pinheiro, durante a conferência de imprensa realizada hoje.

O ciclo, organizado pela Ecos do Passado e pelo Coro Sinfónico Inês de Castro, volta a acolher concertos digitais entre 1 e 3 de maio, também com três sessões diárias de um recital de canto e piano.

Em setembro, é interpretado o Requiem de Mozart, primeiro no dia 11 em Vila Franca de Xira, no Auditório do Ateneu Artístico Vilafranquense, e a 12 na Igreja do Mosteiro de Santa Clara-a-Nova, em Coimbra.

O evento termina a 19 de setembro com a apresentação de “Requiem por um mundo vivo”, no Grande Auditório do Convento São Francisco, em Coimbra, que pretende ser “uma homenagem às vítimas e sobreviventes da pandemia”.

Segundo o curador do ciclo, o maestro Artur Pinho Maria, este último concerto terá como base uma composição do espanhol José Pablo Serrano, que será também interpretada noutros países.

“Tenho muito carinho por este requiem e o coro está encantado com esta obra”, salientou o maestro que dirige o Coro Sinfónico Inês de Castro.

O ciclo normalmente arrancaria em março, mas, devido à pandemia, tal não foi possível.

Os bilhetes para os concertos virtuais serão de cinco euros e para os presenciais de dez euros.

Deixe um comentário