Cultura em Expansão no Porto arranca a 28 de maio

Nesta edição e depois de um ano “atípico”, o programa fundado em 2014, pretende “reforçar o número de número de projetos de criação e residências artísticas com as comunidades da Pasteleira, Miragaia, Bouça e Campanhã”, refere o comunicado divulgado hoje.

Com a missão de “levar a cultura a todo o lado” e focado novamente na “multiplicidade artística”, o Cultura em Expansão vai acolher, ao longo de todo o ano, 68 eventos, do cinema à dança, música, teatro e performance.

A programação de 2021 vai voltar a centrar-se em quatro “polos principais”: na Associação de Moradores do Bairro Social da Pasteleira — Previdência/Torres, no Auditório do Grupo Musical de Miragaia, na Associação de Moradores de Bouça e na Associação Nun’Álvares de Campanhã.

“Serão ainda apresentadas (…) iniciativas em diferentes pontos da cidade, assim como, durante os meses de verão, espetáculos em espaços ao ar livre nos territórios que circundam estes auditórios”, refere o documento.

O arranque da oitava edição fica a cargo do projeto COZINHA(S), uma criação do Teatro Experimental do Porto com direção artística de Catarina Barros, que, pelas 19:30, se estreia no Bairro da Bouça. O espetáculo será também apresentado no dia 18 de junho, no Jardim da Cordoaria.

Da programação para 2021, a 29 de maio, destaca-se o espetáculo ‘Para atravessar contigo o deserto do mundo’, criado e interpretado por Pedro Lamares e Lúcia Moniz, a partir da amizade e cartas trocadas entre Sophia de Mello Breyner Andresen e Jorge de Sena.

O mês de junho arranca com o espetáculo ‘Segunda-feira: Atenção à Direita’, criado por Cláudia Dias, que recria em palco um combate de boxe.

‘Limpe Fuchs’, ‘Taina Fest’, dos Lovers & Lollypops, e ‘Para Vós’, de Claudia Andrade, habitada por moradores locais dos sítios por onde passa, são alguns dos espetáculos também previstos para junho.

Na sexta-feira, dia 18 de junho, destaca-se ainda a exploração rítmica e criação musical “Silvar” do baterista Ricardo Martins, a quem se juntará a centenária Banda Marcial da Foz do Douro, num espetáculo de percussão.

Em julho, projetos como ‘O último dos homens’, ‘Mapa Emocional’, ‘Ilhas — uma constelação’ e ‘Estro/Watts Poesia de Rock’, de Gonçalo Amorim e Paulo Furtado, sobem a palco.

No fim de semana de 24 e 25 de julho, o espetáculo ‘Brado — Encontro de Vozes em Cigano Canto’, de Margarida Mestre, em cocriação com a Orquestra Ciganos, estreia-se na Casa das Glicínias, em Campanhã.

O Cultura em Expansão deste ano conta ainda, de 8 a 11 de julho, com a apresentação do espetáculo “Travessia”, um projeto da CRL — Central Elétrica, com a comunidade brasileira residente na cidade do Porto.

O programa destaca ainda algumas oficinas de participação gratuita com José Quevedo, em torno do Teatro Lambe-Lambe, e José Gil, que irá partilhar a tradicional arte do Teatro Dom Roberto.

B. Fachada, Pop Dell’Arte, Maria João/Ogre Electric, DJ Marfox, Angélica Salvi e Alexandre Soares (Três Tristes Tigres) são outros dos nomes que constam da programação.

A programação do Cultura em Expansão foi desenhada em parceria com o Teatro do Frio, a Confederação — coletivo de investigação teatral, a Sonoscopia e o Visões Úteis.

A sessão de apresentação da programação, que decorreu hoje na Associação Nun’Álvares de Campanhã, contou com a atuação de JP Simões & Amigos, com o presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira, e da equipa do projeto e estruturas parceiras de produção e programação.

Leia Também: ‘Marighella’ é “um grito de resistência”, diz o ator Bruno Gagliasso

Deixe um comentário