Culturgest. Nova temporada com Victor Pontes, Tó Trips e Lia Rodrigues

Desenhada pelo programador Marc Deputter, a nova temporada da Cultugest arranca em fevereiro com o espetáculo de música contemporânea “Suite nº 4”, a última de uma série de ‘suites’ de Joris Lacoste (direção), Pierre-Yves Macé (composição) e Sébastien Roux (sonorização) a interpretar pelo Ensemble Ictus.

Depois de Lisboa, “Suite n.º 4” será apresentado no Teatro Municipal do Porto.

Em fevereiro, a Culturgest acolherá ainda a estreia de “Corpo Clandestino”, nova coreografia de Victor Hugo Pontes para repensar a “normatividade dos corpos”, e dará palco ao músico Tomás Wallenstein, dos Capitão Fausto, com canções a solo de um álbum que irá chamar-se “Vida Antiga”.

Da programação revelada para 2023, na dança e teatro, a Culturgest propõe “t u m u l u s”, “um espetáculo deslumbrante visual e musicalmente”, de François Chaignaud e Geoffroy Jourdain, que também estará no Teatro Municipal do Porto.

Haverá ainda palco para novas coreografias da brasileira Lia Rodrigues – “Fúria” e “Encantado”, em abril – e da portuguesa Tânia Carvalho, com “Versa-vice”, em maio.

Gil Mendo, um dos fundadores da Escola Superior de Dança e que morreu este ano, será recordado com “uma maratona de performances e quatro conversas”.

No programa de música, além de Tomás Wallenstein, a Culturgest será ponto de paragem para a norte-americana Nina Nastasia e para os canadianos Owen Pallett e The Hidden Cameras – que também atuarão noutros palcos do país em 2023.

A Culturgest revela que o guitarrista Tó Trips terá um novo álbum, “Popular Jugular”, a apresentar ao vivo em março, e que os Glockenwise vão mostrar as novas canções de “Português Gótico” em maio.

Dave Douglas e Joey Baron, Swans e Tim Hecker completam as propostas musicais até ao verão.

No cinema, o destaque vai para o cine-concerto, a 31 de março, que assinala os cem anos do filme “Os Faroleiros” (1922), “raridade do cinema mudo português”, realizado pelo francês Maurice Mariaud.

O filme será exibido com uma nova banda sonora encomendada pelo Batalha Centro de Cinema ao compositor Daniel Moreira e que será interpretada ao vivo pelo The Arditti Quartet (depois da estreia, no dia 22 do mesmo mês, no Batalha, no Porto).

O filme “Os Faroleiros” “esteve perdido durante de´cadas, tendo sido encontrado no Pala´cio do Bolha~o, no Porto, em 1993 — onde a empresa do produtor Raul de Caldevilla, pioneiro dos filmes de publicidade em Portugal, teve a sua sede”, lembra a Culturgest.

Nas artes visuais, a Culturgest acolhe exposições de Peter Wachtler, Sónia Almeida, numa primeira retrospetiva desta artista, e de Ana Santos.

Toda a programação da Culturgest, a fundação da Caixa Geral de Depósitos, poderá ser consultada em www.culturgest.pt.

Leia Também: Nova temporada Culturgest: Mais de 40 momentos de criação contemporânea

Deixe um comentário