Curta ‘Portugal Pequeno’ premiada no Festival Clermont-Ferrand

O filme “Seja como for”, da realizadora portuguesa Catarina Romano, também estava na competição internacional do Festival da Curta-Metragem de ClermontFerrand, que começou a 29 de janeiro, em formato apenas ‘online’ devido à pandemia covid-19.

De acordo com o palmarés desta 43.ª edição do certame dedicado à curta-metragem, o filme escrito e realizado por Victor Quintanilha, obteve uma menção especial do júri internacional do festival.

“Portugal Pequeno”, produzido em Niterói, município da zona metropolitana do Rio de Janeiro, no Brasil, teve ante-estreia no 31º Festival Internacional de Curtas Metragens de São Paulo, que decorreu entre os 20 e 30 de agosto de 2020, também em formato ´online´.

A curta-metragem conta a história de Jonatan — interpretado pelo ator João Vitor Nascimento – que tem o sonho de se tornar um cantor de ´funk´ famoso para dar uma vida melhor ao seu pai, Álvaro – interpretado pelo ator Wilson Rabelo – que é um pescador.

Enquanto procura conquistar o seu lugar no mundo da música, o jovem também trabalha na pesca com o pai, na zona da Baía de Guanabara, na região da Ponta d´Areia, em Niterói, num bairro conhecido como Portugal Pequeno, que dá nome à produção.

O festival atribuiu o Grande Prémio Internacional à curta “Sestre“, de Katarina Resek, o Grande Prémio Nacional foi para “Mat et les Gravitantes”, de Pauline Penichout, o Prémio Melhor Filme Europeu foi atribuído a “Dalej Jest Dzien“, de Damien Kocuro, e o prémio Melhor Animação foi para “Affairs of the Art”, de Joanna Quinn.

A programação decorreu apenas com exibição online, a partir do ‘site’ do festival – e só em território francês, por questões de direitos – contando com “Seja como for”, de Catarina Romano, que se estreou em competição internacional.

“Seja como for” é o segundo filme de Catarina Romano, uma ‘curta’ de animação sobre solidão, a partir da história de “uma mulher desempregada, que está fechada em casa há muito tempo, aparentemente enclausurada do lado de fora das possibilidades do seu tempo histórico”, segundo a sinopse.

O filme contou com apoio financeiro do Instituto do Cinema e do Audiovisual, e foi exibido pela primeira vez em outubro de 2020, no festival Curtas de Vila do Conde.

A próxima edição do Festival Internacional de ClermontFerrand, considerado um dos mais relevantes dedicados à curta-metragem, ficou marcada para decorrer entre 28 de janeiro e 05 de fevereiro de 2022.

Deixe um comentário