Daniel Seabra vence Prémio Jovens Artistas do Coliseu do Porto

De acordo com a biografia disponibilizada pelo Coliseu do Porto, Daniel Seabra iniciou o seu percurso artístico, em 2010, com 16 anos, no Chapitô, especializando-se em acrobacia aérea, onde foi aluno de mérito durante três anos consecutivos e ganhou a bolsa Talento Nacional — BES 2013.

Trabalhou como aerealista para a Disney on Ice, Royal Circus, Cirque Pinder, entre outros. Colaborou com diferentes companhias, entre as quais La Fura dels Baus, Companhia da Esquina, Teatro Experimental do Porto, Teatro Cão Solteiro, Erva Daninha e em nome próprio.

Em 2020, foi convidado a integrar o elenco do Circo de Natal do Coliseu do Porto, com um número de dança acrobática. No mesmo ano, criou a sua própria companhia, Circo Caótico.

Destinado a jovens talentos das artes circenses ou da dança, o Prémio Jovens Artistas Coliseu Porto Ageas foi lançado há um ano, a propósito das comemorações dos 80 anos da sala portuense.

De periodicidade anual, e com o valor de cinco mil euros, tem como missão promover talentos em duas áreas artísticas “com forte impacto no panorama nacional – circo e dança – mas que nem sempre têm o reconhecimento público que merecem”, referiu, em comunicado, a presidente do Coliseu do Porto, Mónica Guerreiro.

O prémio abrange intérpretes, coreógrafos, cenógrafos, produtores, programadores, entre outros profissionais ligados a esta área, até 30 anos de idade.

O júri da categoria artes circenses foi constituído pelo ilusionista Luís de Matos, o ‘clown’ Rui Paixão, Julieta Guimarães, cofundadora da companhia Erva Daninha, o virtuoso do mastro chinês João Paulo Santos, e Israel Modesto e Isabela Cardinali, ligados a duas famílias com longa tradição nas artes circenses.

“A satisfação de sentir o trabalho reconhecido pelos meus pares é inacreditável”, afirmou Daniel Seabra, citado no comunicado.

O premiado salienta o facto de ter sido o primeiro vencedor da primeira edição de sempre dedicada ao Circo: “É um marco, quer pessoal, quer profissional, porque, além de ser ‘performer’, sou, acima de tudo, um apaixonado pelo circo”.

Com esta distinção, o acrobata espera poder expandir a sua área de atuação e mostrar criações e performances a públicos de geografias e teatros diferentes.

Depois da primeira edição do Prémio Jovens Artistas Coliseu Porto Ageas ter sido dedicada às artes circenses, em 2023 o prémio será atribuído à dança.

Leia Também: ‘Fortnite’. Produtora chega a acordo e terá de pagar 489 milhões de euros

Deixe um comentário