DGArtes inicia processo para concurso para a Bienal de Veneza

 

A declaração anual da DGArtes previa a abertura, até junho, do concurso relativo à representação oficial portuguesa na Bienal de Veneza 2022, algo que até hoje ainda não aconteceu.

Questionada pela agência Lusa sobre este atraso, fonte da DGArtes referiu que aquela entidade “já iniciou os procedimentos relativos à representação oficial portuguesa na 59.ª Exposição Internacional de Arte — La Biennale di Venezia 2022”, lembrando que o processo de seleção “inicia-se com a constituição de um Comissão de Consultores que tem como principal missão identificar os curadores/artistas a convidar para integrarem o concurso limitado”.

Será através desse concurso, com uma dotação de 350 mil euros, “que se selecionará o projeto curatorial e respetiva produção”.

No caso do concurso limitado de Internacionalização e Criação, que diz respeito à representação oficial portuguesa na Bienal de Veneza 2022, de acordo com a declaração anual da DGArtes, trata-se de um “apoio plurianual a atribuir em dois anos, com 240 mil euros respeitantes a 2021 e 110 mil euros respeitantes a 2022”.

Na resposta enviada à agência Lusa, a mesma fonte destaca que a DGArtes está a “finalizar as negociações para o arrendamento de um novo espaço em Veneza, que irá reunir melhores condições expositivas num horizonte temporal alargado”.

A 59.ª Bienal de Arte de Veneza vai decorrer naquela cidade italiana entre 23 de abril e 27 de novembro de 2022, com curadoria de Cecilia Alemani, e estará subordinada ao tema “O Leite dos Sonhos”.

Os países participantes têm até 11 de janeiro de 2022 para apresentar o projeto à organização.

Leia Também: Festival Neopop anuncia primeiros 28 nomes para edição de 2022

 

Deixe um comentário