Dois filmes portugueses no Festival de Cinema de Edimburgo

 

A propósito da 74.ª edição, o festival assinala que será uma celebração do cinema, à medida que se sai ‘das trevas da pandemia’, mas a programação será em sala e ‘online’.

Na seleção de curtas-metragens estarão ‘The Shift’, de Laura Carreira, e ‘Nha Mila’ de Denise Fernandes.

Para Laura Carreira, que vive e trabalha no Reino Unido, será um regresso ao festival onde em 2019 recebeu o prémio ‘Youth New Visions’ com uma primeira obra, ‘Red Hill’.

Agora apresenta-se com ‘The Shift’, que teve estreia internacional em 2020 no Festival de Cinema de Veneza. É um filme que regista, em menos de dez minutos, a devastação pela qual passa uma mulher depois de perceber, na fila de um supermercado, que ficou sem trabalho.

É um filme no qual Laura Carreira aborda a precariedade, porque a ficção lhe permite chegar ‘a verdades mais reais’, como contou à agência Lusa, aquando da estreia, em Veneza.

A realizadora, que nasceu no Porto em 1994, rumou em 2012 para a Escócia para estudar Cinema, coincidindo na altura com a crise económica que assolou Portugal.

Está atualmente a desenvolver o próximo filme, a primeira longa-metragem, que contará com coprodução portuguesa, pela Bro Cinema, e britânica, pela Sixteen Films, a produtora do realizador Ken Loach.

‘Nha Mila’, que se estreou em 2020 do festival de Locarno, já esteve presente em mais de uma dezena de festivais.

O filme “acompanha as quatro horas de escala em Lisboa de Salomé que viaja para Cabo Verde para ver o seu irmão moribundo, depois de 14 anos longe da sua terra natal”, lê-se na sinopse.

Denise Fernandes nasceu em Lisboa em 1990, filha de pais de origem cabo-verdiana, e cresceu na Suíça.

Segundo a produtora O Som e a Fúria, também está a preparar a primeira longa-metragem, intitulada ‘Hanami’ e ambientada em Cabo Verde.

O festival de cinema de Edimburgo termina no dia 25 de agosto.

Leia Também: Academia distingue Laura Dutra, Michael Spencer e Bernardo Lopes

Deixe um comentário