Embaixada de Cabo Verde apresenta biografia de Cesária Évora em Paris

 

“Cesária Évora foi embaixadora, não só da morna, mas de Cabo Verde no Mundo”, afirmou Hércules Cruz, embaixador de Cabo Verde em França, perante uma sala repleta de figuras de destaque da comunidade cabo-verdiana em terras gaulesas.

Após o lançamento em Cabo Verde e Portugal, a editora Rosa de Porcelana rumou a França, para um lançamento simbólico na cidade que projetou a cantora cabo-verdiana para o mundo.

“A Cesária pensava que seria Portugal que a lançaria no Mundo, já que há esta cumplicidade da língua, mas não funcionou. E foi sempre algo que a deixou um pouco triste. Em França foi logo diferente, houve a felicidade de estar aqui o José da Silva que a redescobriu. Paris tornou-se o centro da sua vida artística”, explicou Elzbieta Sieradzinska, autora da biografia “Cesária Évora”, em declarações à Agência Lusa.

Elzbieta Sieradzinska acompanhou Cesária Évora nos 10 últimos anos da vida da artista, viajando um pouco por todo o globo com a cantora cabo-verdiana e partilhando o seu quotidiano. A autora polaca lembrou que Paris se tornou casa a diva cabo-verdiana que se admirava pelo interesse dos franceses na sua música.

“É importante continuarmos a falar dela e da sua música aqui em França, especialmente para que ela seja descoberta pelos mais jovens. Esta é uma das cidades de Cesária”, sublinhou a autora polaca.

Esta é a crença também da editora Rosa de Porcelana.

“Paris é que lança a Cesária Évora no Mundo e não pode ficar fora das homenagens que lhe estamos a fazer”, explicou a editora Márcia Souto, fundadora da Rosa de Porcelana.

A editora luso-cabo-verdiana procura agora apoios para traduzir a obra de Elzbieta Sieradzinska em francês, de forma a vir de encontro à curiosidade que a diva da morna desperta ainda no mundo francófono.

“É um livro originalmente em polaco e primeiro fizemos a tradução em português, mas há um grande interesse que este livro tenha o maior número de leitores possível, logo o francês faz sentido. Estamos à procura de apoios”, declarou Márcia Souto.

Nesta noite de homenagem, difundida em direto no Youtube para a comunidade cabo-verdiana em França e no Mundo, não faltou também a música, com vários músicos cabo-verdianos instalados em França a tocarem mornas, propositadamente sem voz, já que Cesária Évora é, segundo o embaixador Hércules Cruz, “insubstituível”.

Leia Também: Cesária Évora homenageada em Lisboa com palavras e música

Deixe um comentário