Feira acolhe a partir de janeiro Labaq, circo Órbita e concertos

Segundo revelou hoje a autarquia, entre as 15 propostas de diversa ordem para essa sala do distrito de Aveiro inclui-se ainda teatro de revista, espetáculos de marionetas e formação técnica em domínios como dança flamenca e desenho de som.

“A programação cultural do Cineteatro inclui um conjunto de artistas e espetáculos de tipologia diversa para animar o primeiro trimestre do ano. São cinco concertos [no formato intimista da rubrica] À4HÁ, quatro ‘workshops’ e muitos eventos que prometem surpreender o público”, revela fonte do auditório.

Para 09 de janeiro está prevista a primeira das três sessões formativas dirigidas pelo Ballet Contemporâneo do Norte, neste caso sobre desenho de som, e no dia 13 segue-se o concerto em que a lisboeta Amaura, apontada como “uma das vozes mais promissoras da música soul e R&B” nacionais.

Seguem-se três propostas destinadas a assinalar a Festa das Fogaceiras, feriado municipal que a Feira celebra anualmente a 20 de janeiro: a 17 a peça teatral “Era uma fez as fogaceiras“, transmitida via internet no site do Cineteatro; a 20 e 22 o teatro de revista “@com.finados”, que reflete sobre as peculiaridades do isolamento social ditado pela pandemia de covid-19; e a 29, 30 e 31 a peça “São Sebastião, o Piedoso”, para dar a conhecer padroeiro local que, enquanto evangelizador, se insurgia contra as injustiças cometidas para com cristãos.

Em fevereiro, o cartaz começa no dia 03 com “Tape Junk”, projeto em que João Correia se apresenta “em formato reduzido e acústico” com o guitarrista Frankie Chavez, e depois prossegue com um concerto comentado para crianças, nomeadamente aquele em que a Banda Sinfónica de Jovens de Santa Maria da Feira vai explorar as façanhas do Gato das Botas.

A 20 de fevereiro o palco caberá à dupla “Dois.Pois”, em que a música eletrónica de Sónia Sobral e Gonçalo Garcia interpreta obras de novos autores portugueses; e a 24 apresenta-se a cantora brasileira Labaq, que, a partir de Portugal, é apontada pela crítica europeia como “uma ponte entre Björk e Caetano Veloso”.

Já o mês de março organiza-se assim: no dia 06 há artes circenses e música ao vivo no espetáculoÓrbita” da companhia espanhola Zen del Sur; no dia 7 há um workshop de dança flamenca novamente orientado pelo Ballet Contemporâneo do Norte; no dia 10 a rubrica À4HÁ fica reservada para Meera e a sua eletrónica dos anos 80; e no dia 24 sucede-lhe Valter Lobo, considerado o “escritor de canções em português da nova geração a não perder de vista”.

A 27 de março há ainda mais um “workshop” com conteúdos de interesse para companhias e artistas, desta vez focado em “Gestão e Produção” de projetos culturais e artísticos.

A programação do Cineteatro António Lamoso para o primeiro trimestre de 2021 abrange ainda vários espetáculos no âmbito do Eixos – Festival de Marionetas do Eixo Atlântico, a decorrer nessa sala de 17 a 21 de março.

Fonte da autarquia diz que a edição de 2021 será “mais internacional do que nunca” e, além de referir as companhias portuguesas Marionetas Rui Sousa, Mãozorra e S.A. Marionetas, justifica essa avaliação também com a presença do brasileiro Fábio Supérbi, da companhia luso-germânica Marimbondo e do coletivo Habib Valeria, que reúne artistas do Egipto, Espanha e Brasil.

 

 

Deixe um comentário