Festival Internacional de Cinema de Veneza inicia hoje 78.ª edição

 

A 78.ª edição do festival, que decorrerá até 11 de setembro abre com “Madres Paralelas”, de Pedro Almodóvar, um dos filmes da competição oficial.

A competição pelo Leão de Ouro contará ainda com, entre outros, “America Latina”, dos irmãos Damiano e Fabio D’Innocenzo, e “La caja”, segunda longa-metragem do realizador venezuelano Lorenzo Vigas, já premiado em Veneza em 2015 com o Leão de Ouro.

Na competição perfilam-se ainda várias adaptações literárias, nomeadamente “The power of the dog”, de Jane Campion, a partir de uma obra homónima de Thomas Savage, “Illusions perdues”, de Xavier Giannoli, que adapta Honoré de Balzac, e “The lost daughter”, a primeira longa-metragem da atriz Maggie Gyllenhal a partir de um dos livros da tetralogia de Elena Ferrante.

Destaque ainda para a inclusão de “Spencer”, de Pablo Larraín, com Kristen Stewart no papel de princesa Diana, e “É stata la mano di dio”, do italiano Paolo Sorrentino.

Fora de competição, serão estreados “Dune”, adaptação de um clássico da ficção científica por Denis Villeneuve – e cuja estreia foi várias vezes adiada por causa da pandemia – e “The Last Duel”, de Ridley Scott, com argumento e interpretação de Matt Damon e Ben Affleck, ao lado da atriz Jodie Comer.

Também fora de competição será exibido “Ennio por Giuseppe Tornatore”, um documentário sobre o músico e maestro italiano Ennio Morricone, realizado por Giuseppe Tornatore.

De acordo com a organização, trata-se de “um retrato abrangente de Ennio Morricone, conhecido e amado em todo o mundo, entre os músicos mais influentes e prolíficos do século XX, o vencedor de dois Óscares e compositor de mais de 500 bandas sonoras de cinema inesquecíveis”.

Este ano o júri será presidido pelo realizador sul-coreano Bong Joon Ho, cuja consagração internacional se deu em 2019 com “Parasitas”.

O festival vai distinguir os atores Jamie Lee Curtis e Roberto Benigni com o Leão de Ouro de carreira, e homenagear o realizador e produtor britânico Ridley Scott, pelo seu contributo para o cinema contemporâneo.

No programa “Final Cut” de Veneza, para obras em fase de finalização, estará o documentário “As noites ainda cheiram a pólvora”, do realizador moçambicano Inadelso Cossa, numa coprodução entre Moçambique, Alemanha, França, Noruega, Países Baixos e Portugal.

Cinema

Leia Também: Cine-concerto em Serralves marca 90 anos de ‘Douro, Faina Fluvial’

Deixe um comentário