"Figura de relevo". Ministra lamenta profundamente morte de Olga Prats

A ministra da Cultura, Graça Fonseca, lamentou “profundamente”, esta sexta-feira, a morte da pianista e pedagoga Olga Prats.

Numa nota partilhada no Twitter, a tutela sublinha que a pianista era uma “figura de relevo na arte de bem ensinar e na interpretação de inúmeros repertórios e estilos musicais, destacando-se a música de câmara e a produção contemporânea”. 

Olga Prats morreu hoje, aos 82 anos, na sua residência na Parede, concelho de Cascais, vítima de doença oncológica, disse à Lusa o compositor Sérgio Azevedo, que era seu amigo.

A Ministra da Cultura, Graça Fonseca, lamenta profundamente a morte da pianista e pedagoga Olga Prats (1938-2021), figura de relevo na arte de bem ensinar e na interpretação de inúmeros repertórios e estilos musicais, destacando-se a música de câmara e a produção contemporânea. pic.twitter.com/tKVrSMic1g

— Cultura PT (@cultura_pt) July 30, 2021

Ao longo dos quase 70 anos de carreira, Olga Prats privilegiou a música de câmara, destacando a produção contemporânea.

Além de Fernando Lopes-Graça, foi também colaboradora próxima de outros compositores, como Constança Capdeville e Victorino d’Almeida. Todos lhe dedicaram peças e a pianista estreou várias composições suas.

Lecionou no Conservatório Nacional e na Escola Superior de Música de Lisboa até novembro de 2008.

Leia Também: Olga Prats. Uma carreira distinta na divulgação da música portuguesa

 

Deixe um comentário