Filme de João Pedro Rodrigues é candidato ao Prémio Lux do PE

Os filmes finalistas foram revelados no sábado, em Reiquiavique, onde decorreu a cerimónia de entrega dos Prémios de Cinema Europeu, daquela academia.

Pela primeira vez, foram nomeados cinco filmes finalistas a este galardão, entre os quais ‘Fogo Fátuo’, a comédia de João Pedro Rodrigues, amplamente elogiada pela crítica internacional, numa coprodução entre Portugal e França.

Esta longa-metragem, que o próprio realizador descreve como uma “fantasia musical”, sobre um jovem príncipe que quer ajudar o país a livrar-se do flagelo dos incêndios e que acaba por se apaixonar por um bombeiro, abriu este ano a Quinzena de Realizadores, em Cannes.

Além de “Fogo-Fátuo”, protagonizado por Mauro Costa e André Cabral, os finalistas ao Prémio LUX são “Alcarràs”, de Carla Simón, “Triângulo da tristeza”, de Ruben Osltund, “Burning Days”, de Emin Alpen, e “Close”, de Lukas Dhont.

O filme vencedor será anunciado a 14 de junho de 2023 no Parlamento Europeu, em Estrasburgo.

Este ano, o prémio foi atribuído ao filme “Quo vadis, Aida?”, da realizadora bósnia Jasmila Zbanic.

O prémio baseia-se no antigo Prémio LUX, o prémio de cinema do PE criado em 2007 como símbolo do empenho do Parlamento Europeu na cultura, e no Prémio da Escola do Público atribuído pela Academia Europeia de Cinema.

A nova modalidade do prémio LUX vigora desde 2020.

Leia Também: Filme ‘Alma Viva’, de Cristèle Alves Meira, elegível para os Óscares

Deixe um comentário