Foco Famílias do Teatro Municipal do Porto ‘online’ com duas estreias

“Este ano, devido às medidas de confinamento, o Foco Famílias será ‘online'”, com o ‘site’ do TMP a disponibilizar no sábado e domingo, gratuitamente, “uma programação especial composta por espetáculos, uma oficina de dança, teatro e outras atividades que incentivam a interação entre pais e filhos, avós e netos, mesmo que se encontrem em casas diferentes”, lê-se numa nota de imprensa.

O Foco Famílias tem este ano como tema o “Tempo”, o tempo das “boas memórias”, “imaginação”, “diversão”, o “tempo de fazer tudo ou de não fazer rigorosamente nada”, e apresenta a estreia do espetáculo de dança e teatro “Lágrimas de Crocodilo”, de Guilherme de Sousa e Pedro Azevedo, dos JAA — Jovens Artistas Associados.

O espetáculo “Lágrimas de Crocodilo” tem como ponto de partida a “exploração do choro fingido ou da birra, uma conhecida estratégia de manipulação emocional aplicada por muitas crianças e adultos” e vai estar disponível ‘online’ em “contínuo” no sábado e domingo.

“Boas Memórias” é uma instalação da escritora e encenadora Patrícia Portela com Leonardo Simões & Irmã Lúcia e trata-se também de uma estreia nesta 4.ª edição do Foco Famílias.

É um “projeto iniciado antes de um terço do mundo entrar em quarentena” e que procura “despertar um reconhecimento, uma lembrança, uma paisagem há muito esquecida, roubando um sorriso” e vai poder ser vista também em contínuo neste próximo fim de semana.

A instalação de teatro imersiva “Haiku”, de Joana Magalhães, que vai também estar disponível ‘online’ em contínuo nos próximos dois dias, é outros dos destaques da programação e trata-se de “um elogio à preguiça, animal e capital, ambas em vias de extinção”. Para a versão ‘online’ foi criada uma linha telefónica para que quem estiver em casa, possa ligar e conversar com uma “preguiça-gigante de pelúcia rosa”.

A peça de teatro “Os figos são para quem passa”, que já foi apresentada em novembro na Sala de Ensaios do Rivoli, também faz parte da programação de Foco Famílias. Nesta peça vai contar-se a história de um urso que resolve esperar, sem arredar pé, que os frutos de uma figueira fiquem maduros e prontos para serem comidos. A história é contada por Marta Bernardes e tem música de José Valente.

O programa do Foco Famílias ‘online’ desta edição conta ainda com uma oficina de movimento para toda a família, que será orientada pela dupla de dança e teatro Daniela Cruz e Nuno Preto.

O programa está disponível no site do TMP (www.teatromunicipaldoporto.pt). Todos os conteúdos são de acesso gratuito e podem ser visualizados em diferentes dispositivos, acrescenta a organização.

Deixe um comentário