Fundação Gulbenkian recebe em março Festival Canções Ibéricas

O festival é organizado em parceria com a Fundación Juan March, de Espanha, e propõe-se “explorar a invulgar riqueza linguística da Península Ibérica e a forma como o seu património musical revela de forma intrínseca a vertente identitária de cada região”, segundo comunicado da Fundação Gulbenkian.

O festival, nos dias 11 e 12 de março, conta com a participação das sopranos Ana Quintans e Miren Urbieta-Veja, dos pianistas Filipe Raposo, Miquel Ortega, Fernando Briones, Rubén Fernández Aguirre, e dos barítonos Àngel Òdena e Borja Quiza.

O dia de abertura é protagonizado pelo barítono catalão Àngel Òdena e pelo pianista Miquel Ortega, que vão interpretar, a partir das 16:00, canções catalãs, e pelos portugueses Ana Quintans e Filipe Raposo que a partir das 18:00, apresentam canções portuguesas.

“A utilização do catalão em todas as formas de arte derivou do esplendor cultural da segunda metade do século XIX, surgido na Catalunha [pelo movimento revivalista da língua e cultura catalãs] ‘Renaixensa'”, referiu a fundação portuguesa.

O programa inclui peças dos compositores Enric Morera (1865-1942), Joan Lamote de Grignon (1872-1949), Eduard Toldrà (1895-1962), Frederic Mompou (1893-1987), assim como compositores ainda no ativo como Miquel Ortega e Albert Guinovart.

Ana Quintans e Filipe Raposo vão apresentar “canções portuguesas do último século em combinação com vários exemplos do Cancioneiro Popular Português”, com autores como Carlos Paredes (1925-2004), Fernando Lopes-Graça (1906-1994), António Fragoso (1897-1918), Jorge Croner de Vasconcellos (1919-1974), ou Joly Braga Santos (1924-1988), e ainda Eurico Carrapatoso e Filipe Raposo.

O segundo e último dia do festival é dedicado às canções bascas, por Miren Urbieta-Vega e Rubén Fernández Aguirre, e galegas por Borja Quiza e Fernando Briones.

Urbieta-Veja e Fernández Aguirre vão apresentar canções, entre outros, de José María Iparaguirre (1820-1881), Pablo Sorozabal (1897-1988), Félix Lavilla (1928-2013), Antón García Abril (1933-2021) e dos compositores atualmente em atividade Manuel García Morante, Francisco Ibañez e Carlos Imaz.

O recital de canções galegas inclui os compositores Xosé Castro “Chané” (1856-1917), Xosé Fernández Vide (1893-1981), Julio Gómez (1886-1973), Antón García Abril (1933-2021), Xavier Montsalvatge (1912-2002) e Francisco Calés Otero (1925-1985), assim como os nomes de Juan Durán e María Domínguez, ainda em atividade.

Leia Também: Graça Morais homenageia Mega Ferreira em Bragança

Deixe um comentário