Guarda dedica a Eduardo Lourenço a primeira Caravana Literária

Em comunicado, a Guarda 2027 explica que a Caravana Literária — Festa de Literatura e Pensamento da Beira Interior “é um projeto itinerante dedicado à figura e obra de um autor consagrado ligado aos concelhos que integram a candidatura” da cidade a Capital Europeia da Cultura.

“Trata-se de uma festa de literatura e pensamento anual que tem como premissa associar geografias (espaço urbano e património natural) à produção literária e a outras áreas artísticas, de forma articulada e em torno de uma personalidade de dimensão nacional”, adianta.

Natural de Almeida, distrito da Guarda, Eduardo Lourenço (1923-2020), que morreu no dia 01 de dezembro, com 97 anos, “foi quem mais pensou sobre a vocação da Guarda, não só na Ibéria como no contexto europeu”, afirma o vice-presidente da Câmara Municipal, Vítor Amaral, citado na nota.

A realização da Caravana Literária foi revelada durante a quarta e última sessão do ciclo Conversas Guarda 2027, uma iniciativa que permitiu discutir temas como a atividade artística em contexto rural, mobilidade e coesão social, empreendedorismo e tecnologias da cultura e património identitário da região.

“Está na altura de sairmos das trincheiras e de criar uma narrativa comum para a Beira Interior que se transforme numa candidatura forte a Capital Europeia da Cultura em 2027”, defendeu Vítor Amaral, ao intervir no encerramento do ciclo de debates.

Concebido pelo programador Jorge Maximino no âmbito da candidatura, o projeto Conversas Guarda 2027 incluiu sessões no Fundão, Gouveia, Figueira de Castelo Rodrigo e Guarda.

Deixe um comentário