Henrique Amoedo será o novo diretor artístico do Teatro Viriato em Viseu

Em comunicado, o CAEV (responsável pela gestão e programação do Teatro Viriato) refere que o fundador do grupo Dançando com a Diferença assumirá o cargo no domingo.

“A partir de 1 de maio, começaremos a trabalhar em conjunto na materialização da sua visão artística para o Teatro Viriato, na companhia de parceiros, artistas, amigos, mecenas e equipa”, avança.

O CAEV recorda que “o coreógrafo e criador do conceito de dança inclusiva tem, ao longo dos últimos anos, colaborado em diferentes projetos do Teatro Viriato”, sendo o exemplo mais visível o núcleo do Dançando com a Diferença criado em Viseu.

Segundo o CAEV, “em interligação com a companhia Dançando com a Diferença Madeira”, têm-se “lançado as sementes de um relevante trabalho artístico, pedagógico e de sensibilização para a inclusão social”, tendo esta “relação de cumplicidade” sido “acolhida com sucesso” pelo público e por entusiastas da dança, escolas e instituições.

“É com entusiasmo e expectativa que o CAEV anuncia esta boa nova, por coincidência no Dia Mundial da Dança, disciplina artística à qual a história do Teatro Viriato está desde sempre relacionada, pela relação estratégica à Companhia Paulo Ribeiro”, realça.

Professor, formador e coreógrafo, Henrique Amoedo fundou o grupo Dançando com a Diferença em 2001, na ilha da Madeira.

O CAEV sublinha que foi ele quem “criou o termo dança inclusiva (2002), que se refere à possibilidade de mudança da imagem social e inclusão de pessoas com deficiência na sociedade, através da arte de dançar”.

“Tem realizado diferentes iniciativas no âmbito educativo e artístico, em Portugal e no estrangeiro, bem como tem realizado a coordenação e/ou direção artística de projetos em diferentes âmbitos ligados às artes performativas”, acrescenta.

Patrícia Portela deixou de ser diretora artística do Teatro Viriato a 31 de janeiro. A artista, que vivia entre Portugal e Bélgica, tinha-se fixado em Viseu a 1 de março de 2020, substituindo Paula Garcia.

Leia Também: Viseu. Cine Clube disponível para digitalizar e arquivar filmes caseiros

Deixe um comentário