‘Hunting Day’ de Alberto Seixas vence prémio da secção Novíssimos

O júri, composto pela programadora e diretora de estudos da HEAD, Delphine Jeanneret, a produtora de cinema Maria João Mayer e a atriz Mia Tomé, decidiu atribuir o prémio Novíssimos Betclic a “Hunting Day”, de Alberto Seixas, “por ser uma micro-narrativa que personifica aquilo que o cinema é: o faz-de-conta, a imaginação, o questionar a realidade com a ficção”.

De acordo com a organização do festival, em comunicado, “as juradas ficaram impressionadas com a estética com os tempos das ações”.

“Em poucos minutos o realizador conseguiu criar uma experiência sensorial, com um forte sentido de trabalho de câmara e enquadramento”, considerou o júri, esperando que o prémio, no valor monetário de 1.500 euros mais promoção e venda do filme pela Portugal Film — Agência Internacional de Cinema Português, “seja uma boa contribuição para projetos futuros do realizador”.

A secção Novíssimos “traz para primeiro plano os primeiros projetos de jovens cineastas”.

“Hunting Day” foi rodado num único dia, em agosto de 2019, e usa apenas uma bobine de filme, o que o limita no tempo a cerca de três minutos, e retrata o “percurso de um homem errante”, explicou à Lusa Alberto Seixas, em junho do ano passado.

Rodado em Celorico de Basto, onde o realizador nasceu, “Hunting Day” foi “uma ideia um pouco inspirada” em algumas coisas relacionadas com a sua terra natal, “como dramas familiares e percursos errantes, figuras normalmente masculinas que aqui adaptei a um formato mais dramático e curto”.

A trabalhar no Porto, atualmente, na área do cinema, Alberto Seixas estudou Ciências da Comunicação e Cinema Documental.

Dirigiu “Um Homem Não é Um Homem Só”, ‘curta’ documental de 2018, com a qual venceu o Prémio Sophia Estudante, da Academia Portuguesa de Cinema, para melhor curta-metragem em documentário, e uma menção honrosa para melhor primeira obra no Shortcutz Ovar.

Colaborou com os realizadores Steve Harrison, Morag Brennan, Eddy Joseph e Ana Luísa Oliveira em diferentes funções. Trabalhou como editor, assistente de som e em outras funções de produção em filmes de Anna Azevedo e de Margarida Paiva.

Os restantes vencedores do 18.º IndieLisboa serão anunciados na segunda-feira.

Deixe um comentário