Livreiro José Pinho recebe medalha de mérito cultural da Cidade de Lisboa

A atribuição da medalha a José Pinho, de 69 anos, foi aprovada por unanimidade na quarta-feira, em reunião da Câmara Municipal.

“É uma personalidade incontornável do setor cultural do país e da cidade de Lisboa, dedicando-se há mais de duas décadas a estimular e inovar a democratização do acesso à cultura e à formação de públicos, com especial enfoque na promoção do livro, da leitura, da língua portuguesa, da criação artística, bem como de todas as outras formas de expressão cultural”, lê-se na proposta, apresentada pelo presidente da autarquia, Carlos Moedas (PSD).

José Pinho é editor de mais de uma vintena de livros e foi fundador e cofundador de vários projetos ligados à atividade cultural.

No papel de livreiro e editor foi, em 1999, cofundador, acionista maioritário e presidente do Conselho de Administração da Ler Devagar, projeto que teve início no Bairro Alto e que, durante os últimos 20 anos, se instalou em seis espaços na cidade de Lisboa.

Foi ainda cofundador e sócio-gerente da Nouvelle Librairie Française de Lisboa, uma livraria fundada e especializada em livros franceses, nomeadamente nas traduções em francês de autores lusófonos.

José Pinho fundou também a Ler Devagar Cinema, na Cinemateca Portuguesa e a Ler Devagar Artes, na Culturgest, espaços entretanto já encerrados.

Enquanto criador e coordenador de festivais literários é responsável pelo Folio Festival Literário Internacional de Óbidos, pelo Festival Literário Latitudes: Viagens e Viajantes e pelo Festival Lisboa Cinco L.

Entre 1989 e 1995, foi editor da revista literária de análise e crítica social Devagar.

Mais recentemente está dedicado à criação do novo Centro Cultural e Social do Bairro Alto, um projeto multidisciplinar que congregará livrarias, galerias, estúdios de cinema e de gravação de audiolivros e podcasts, salas de concertos e de artes performativas.

“José Duarte de Almeida Pinho é, assim, uma personalidade ímpar da cidade Lisboa, um visionário e empreendedor a quem se presta, hoje e neste âmbito, a devida homenagem reconhecendo, evidenciando e agraciando o seu talento”, justifica a autarquia.

A medalha municipal de mérito “destina-se a distinguir as pessoas singulares ou coletivas, nacionais ou estrangeiras, de cujos atos advenham assinaláveis benefícios para a Cidade de Lisboa, melhoria nas condições de vida da sua população, desenvolvimento ou difusão da sua arte, divulgação ou aprofundamento da sua história, ou outros de notável importância que justifiquem este reconhecimento”.

Leia Também: Festival literário Lisboa 5L arranca sob o signo da multiculturalidade

Deixe um comentário