Marcelo saudou cinema português por nomeação aos Óscares e não só

Numa nota divulgada ao final da tarde no ‘site’ da Presidência, recorda-se que “o reconhecimento internacional do cinema português tem merecido ao Presidente da República a devida atenção, em mensagens, encontros com cineastas ou na recente distinção atribuída a Abi Feijó [produtor e realizador de cinema]”.

Para Marcelo Rebelo de Sousa, “a inédita nomeação de um filme português (a curta-metragem de animação ‘Ice Merchants’, de João Gonzalez) para os Óscares, tal como a anunciada presença de duas obras de João Canijo (‘Mal Viver’ e ‘Viver Mal’) no Festival de Berlim, são novos motivos de regozijo e de confiança”.

‘Ice Merchants’, de João Gonzalez, está nomeado para os Óscares na categoria de Melhor Curta-Metragem de Animação, segundo a lista hoje anunciada, tornando-se no primeiro filme de produção portuguesa a competir por uma ‘estatueta dourada’.

O filme, sem diálogos, tem como ponto de partida a imagem de uma casa numa montanha, debruçada num precipício. A partir daí, o realizador desenvolveu a história de um pai e um filho que produzem gelo na casa inóspita onde vivem, e de onde saltam todos os dias, de paraquedas, para o vender na aldeia, no sopé da montanha.

João Gonzalez assina a realização e a banda sonora do filme e divide a animação, em 2D, com a polaca Ala Nunu.

Antes de chegar às nomeações dos Óscares, ‘Ice Merchants’ teve uma estreia premiada em 2022 na Semana da Crítica no Festival de Cinema de Cannes, em França.

De acordo com a Agência da Curta-Metragem, o filme de João Gonzalez já passou por mais de uma centena de festivais de cinema, obteve 44 prémios e foi visto por 8.425 espectadores.

A cerimónia da 95.ª edição dos Óscares está marcada para 12 de março.

Os filmes ‘Mal Viver’ e ‘Viver Mal’, de João Canijo, foram selecionados para o Festival de Cinema de Berlim, segundo a programação anunciada na segunda-feira.

Esta será a estreia do realizador na competição deste festival, com a longa-metragem ‘Mal Viver’ selecionada para a competição oficial, em disputa pelo Urso de Ouro, e com a longa-metragem ‘Viver Mal’, na secção Encontros, dedicada a “novas visões cinematográficas”.

Os dois filmes resultam de um trabalho de 12 semanas de rodagem que aconteceu no Hotel Parque do Rio, em Ofir, no concelho de Esposende, no início de 2021, quando o país atravessava o segundo período de confinamento pandémico, explicou à Lusa o produtor Pedro Borges, da Midas Filmes.

‘Mal Viver’ é a história de uma família de várias mulheres de diferentes gerações, que arrastam uma vida dilacerada pelo ressentimento e o rancor, que a chegada inesperada de uma neta vem abalar, no tempo de um fim de semana”, lê-se na sinopse.

‘Viver Mal’ segue em paralelo e foca-se nos hóspedes que passam pelo hotel gerido por aquelas mulheres.

“São dois filmes completamente diferentes no tom e no que se passa. Qualquer um deles torna-se mais interessante quando se vê o outro”, explicou o produtor, que aponta a estreia comercial em sala para 11 de maio.

Está prevista ainda uma versão em minissérie para a RTP.

O elenco conta com Rita Blanco, Anabela Moreira, Madalena Almeida, Cleia Almeida, Vera Barreto, Filipa Areosa, Leonor Silveira, Nuno Lopes, Rafael Morais, Lia Carvalho, Beatriz Batarda, Leonor Vasconcelos e Carolina Amaral.

O 73.º Festival de Cinema de Berlim decorrerá de 16 a 26 de fevereiro.

Leia Também: Portugal tem “um nicho muito interessante” no cinema de animação

Deixe um comentário