Mercado Medieval faz Castelo de Pombal "regressar" à Idade Média

Numa nota de imprensa hoje divulgada, a Câmara de Pombal, no distrito de Leiria, explica que o espaço vai reunir “artesãos, taberneiros, regatões, animações e recriações históricas, numa interpretação das vivências medievais, focadas no tema central dos Templários e da construção do Castelo”.

No espaço envolvente ao monumento, o Mercado Medieval “acolhe várias zonas dedicadas à venda de produtos artesanais, alimentos, utensílios e ferramentas da época medieval, com lotação limitada e controlo de entradas e saídas”.

“Perspetiva-se que a edição 2021 seja positiva, apesar de ainda se viver num contexto de pandemia, embora menos gravoso”, refere a nota, adiantando que o evento está sujeito ao cumprimento de um plano de contingência, elaborado pelo Gabinete de Proteção Civil, aprovado pelo vice-presidente da Câmara e validado pela Autoridade de Saúde Pública.

“Na área designada para o efeito estarão 40 expositores que cumprirão as normas da DGS [Direção-Geral da Saúde]”, esclarece a nota, salientando que “a zona de espetáculos terá uma lotação máxima de 150 lugares, por cada espetáculo, havendo vários ao longo de cada dia do evento”.

A Câmara acrescenta que vai colocar à disposição dos visitantes “uma rede de transporte eventual gratuito, entre o centro da cidade (Largo do Cardal) e o Castelo”, apelando para a sua utilização.

À agência Lusa, a vereadora com o pelouro da Cultura, Ana Cabral, disse esperar “uma grande adesão”, lembrando que o Mercado Medieval não se realizou no ano passado e que esta edição esteve prevista para abril, acabando por se optar por esta data devido ao Dia Nacional dos Castelos, que se assinala hoje.

Considerando que se trata de um “momento de encontro”, Ana Cabral apontou a “gastronomia, artesanato ou espetáculos que vão decorrer dentro do Castelo” como fatores que justificam uma deslocação ao Mercado Medieval.

A vereadora destacou, ao nível da animação, o grupo Cornalusa, bailadeiras do povo, trovadores e danças orientais pelas odaliscas do mouro Al-Pal-Omar.

O Mercado Medieval começa às 14:00 de sexta-feira e termina às 22:00 de domingo. Inclui recriações históricas, como o anúncio da chegada do mestre Gualdim Pais da Terra Santa ou da beneficiação do Castelo, por ordem daquele.

Segundo o sítio na internet do município, “Pombal nasceu com a construção do seu Castelo, mandado erigir, entre 1156 e 1171, por Gualdim Pais, mestre da Ordem do Templo”.

“Não podendo o Castelo de Pombal considerar-se um exemplar precioso da arquitetura militar portuguesa da Idade Média, pelas deformações sofridas ao longo dos séculos, quer pelas suas deficiências de traça e estrutura, conserva, contudo, um aspeto digno das suas tradições”, acrescenta.

O Mercado Medieval é uma organização do Município de Pombal e da Associação de Desenvolvimento e Iniciativas Locais de Pombal.

Leia Também: Museu do Castelo abre “porta da traição” para viagem desde o século XIII

Deixe um comentário