Ministro da Cultura elogia projetos positivos de 4 cidades candidatas

O ministro da Cultura, Pedro Adão e Silva, mostrou-se satisfeito com a escolha de Évora para ser Capital Europeia da Cultura em 2027, mas preferiu elogiar os projetos apresentados pelas quatro cidades portuguesas que chegaram à fase final.

Aos jornalistas, após o anúncio feito pelo júri europeu no Centro Cultural de Belém, Pedro Adão e Silva disse esperar que a escolha de Évora tenha “um efeito de alavancagem do território, do desenvolvimento, um efeito transformador do próprio território com a cultura”, mas recordou que “vamos ter em 2024, 2025 e 2026 a Capital Portuguesa da Cultura”, com as cidades de Braga, Aveiro e Ponta Delgada.

O ministro da Cultura sublinhou a “articulação entre as quatro candidaturas”, considerando-as um “motivo de enorme satisfação para o país” o facto de as quatro cidades portuguesas na fase final do processo ficarem fora das áreas metropolitanas de Lisboa e Porto.

Questionado sobre a ideia das capitais portuguesas da cultura, um conceito que não é novo, Adão e Silva afirmou que o objetivo não é só rentabilizar o trabalho que foi feito pelas candidaturas derrotadas, mas é também “reconhecer a importância da cultura para o território, para o desenvolvimento, nomeadamente económico, para a transformação da identidade e da imagem dos concelhos”, reafirmando que “a cultura tem um potencial transformador que deixa um legado”.

Precisamos de levar a cultura mais longe, de vencer os obstáculos que existem no acesso à cultura, que são socioeconómicos, mas são também territoriais”, acrescentou.

Com a atribuição do título, Évora vai receber 29 milhões de euros do Estado português, através de várias instituições, para dinamizar o setor cultural da cidade até 2027.

Quanto às futuras capitais portuguesas da cultura, estas “cada ano terão 2 milhões de euros para ajudar a concretizar uma parte do plano que apresentaram nesta candidatura”, explicou o ministro. A ordem será determinada pelos próprios municípios de Braga, Aveiro e Ponta Delgada.

O anúncio de Évora como a Capital Europeia da Cultura em 2027 foi feito hoje, numa cerimónia no Centro Cultural de Belém. A cidade alentejana será a quarta portuguesa a receber o título, depois de Lisboa, Porto e Guimarães, em 1994, 2001 e 2012, respetivamente.

A seleção foi feita por um júri internacional, liderado pela portuguesa Beatriz Garcia, da Comissão Europeia. Os restantes 11 especialistas são Else Christensen-Redzepovic e Jorge Cerveira Pinto, do Parlamento Europeu; Marilyn Gaughan Reddan, Goda Giedraityte e Rossella Tarantino, do Conselho Europeu; Jelle Burggraaff e Hrvoje Laurenta, da Comissão Europeia; Anne Karjalainen, do Comité das Regiões; e João Seixas e Suzana Faro, do Ministério da Cultura português.

Leia Também: Évora vai ser Capital Europeia da Cultura em 2027

Deixe um comentário