Morreu primeira diretora do Museu da Graciosa

Maria Teodora de Borba nasceu a 25 de abril de 1931 no Norte Pequeno, ilha de São Jorge, onde concluiu o ensino primário.

Aos 18 anos, fez o exame de regente na ilha Terceira e ingressou no Liceu Nacional de Angra do Heroísmo.

No 4.º ano de liceu, regressou a São Jorge para recuperar de um problema de saúde e retomou os estudos no Colégio de Santo António, no Faial, onde completou o 4.º e 5.º anos.

“Esta formação cívica e religiosa pautou os seus quase 90 anos de vida”, salienta o Governo dos Açores, numa nota hoje divulgada em que lamenta a morte da professora.

Com o intuito de ser enfermeira, regressou depois à Terceira para o exame de admissão ao ministério.

A vida encaminhou-a para o ensino e terminou a formação em 1957, ano em que ficou colocada na Escola Masculina Sousa Júnior, na Praia da Vitória.

Em 1964 pediu transferência para a Graciosa, ilha de onde o marido, Celestino Silva, era oriundo.

Além de docente de história, “auxiliou muitos graciosenses a concluírem os estudos, através de explicações que dava em casa”, lembra o Governo açoriano, de coligação PSD/CDS-PP/PPM.

Em 1980, foi convidada para dirigir o Museu da Graciosa onde permaneceu até 2000.

“Foi, aliás, sob a sua direção que o granel foi comprado, renovado e recolhido do acervo da Casa Etnográfica, que abriu a 06 de dezembro de 1983”, refere a nota.

A docente destacou-se em várias missões de cidadania ativa, tendo desempenhado o cargo de presidente da Junta de Freguesia de Santa Cruz por três mandatos e foi ainda “uma das maiores impulsionadoras da Associação de Artesãos da Graciosa”.

Maria Teodora de Borba foi em 2018 agraciada pela Assembleia Legislativa Regional dos Açores com a Insígnia Autonómica de Reconhecimento.

Em agosto de 2019, Ana Isabel Serpa e Jorge António Cunha lançaram um livro sobre a professora Teodora, com o título “Da janela, o Perfume das Rosas”, publicação que resultou de uma pesquisa em documentação existente nos organismos públicos a que esteve associada, assim como no seu arquivo pessoal, com vasta correspondência, boletins e registos.

Deixe um comentário