Mostra de teatro em Braga reúne artistas de 8 países e homenageia Ucrânia

Organizada pela Companhia de Teatro de Braga (CTB), a MIT vai contar com a presença de criações, artistas e representantes de teatro de Portugal, Itália, Chipre, Geórgia, Cazaquistão, Uzbequistão, Quirguistão e Ucrânia.

“Na MIT 2023, terá lugar uma homenagem à luta pela liberdade travada pelo povo ucraniano e seus artistas”, disse o diretor da CTB.

Segundo Rui Madeira, o apuro das bilheteiras de dois dos espetáculos da mostra será “inteiramente destinado” ao Teatro de Kershon, da Ucrânia, com quem a CTB tem “uma longa e rica colaboração”.

Durante a MIT 2023, terão lugar 16 representações, repartidas pelo Theatro Circo, em Braga, pelo Teatro Gil Vicente, em Barcelos, e pela Quinta da Caverneira, na Maia.

“Esta mostra internacional visa contribuir para a paz, a diversidade cultural e a coesão social, através da arte teatral”, afirmou Rui Madeira.

Todos os espetáculos, à exceção de um em italiano, serão legendados em português.

Um dos espetáculos será levado a cena por artistas ucranianos refugiados em Portugal, ao abrigo do Projeto Palco — Uma Casa do Mundo, da responsabilidade da CTB, em parceria com a União dos Artistas de Teatro da Ucrânia.

O diretor do CTB adiantou que dentro de dois anos, em 2025, o certame pretende ganhar um O, passando de MIT para MITO, assumindo-se como um Grande Festival Internacional de Teatro e Ópera Clássicos.

Nesse ano, a mostra deverá reunir representantes de estruturas de criação e de festivais dos 23 países que compõem a Eurásia Theater Association (ETA), estrutura parceira na organização da MIT.

A partir desse ano, o MIT terá como palco privilegiado as ruínas do Teatro Romano, em Braga.

Leia Também: Companhia Bandevelugo aborda violência, ditadura e atualidade em Ovar

Deixe um comentário