"Olga Prats fez da música lugar de encontro com os outros"

A pianista Olga Prats morreu hoje, aos 82 anos, na sua residência na Parede, concelho de Cascais, vítima de doença oncológica. Recorrendo ao Twitter, António Costa destacou Olga Prats como uma “grande pianista”, que “fez da música lugar de encontro com os outros”

“Como instrumentista, privilegiou a prática em conjunto. Como professora, formou e inspirou novas gerações”, acrescentou o primeiro-ministro, deixando um “sentido abraço à sua família e amigos”. 

O Presidente da República e o presidente da Assembleia da República, assim como a ministra da Cultura, também reagiram à morte da pianista. 

Grande pianista, Olga Prats fez da música lugar de encontro com os outros. Como instrumentista, privilegiou a prática em conjunto. Como professora, formou e inspirou novas gerações. Um sentido abraço à sua família e amigos.

— António Costa (@antoniocostapm) July 30, 2021

Olga Prats morreu hoje, aos 82 anos, na sua residência na Parede, concelho de Cascais, vítima de doença oncológica, disse à Lusa o compositor Sérgio Azevedo, que era seu amigo.

Ao longo dos quase 70 anos de carreira, Olga Prats privilegiou a música de câmara, destacando a produção contemporânea.

Além de Fernando Lopes-Graça, foi também colaboradora próxima de outros compositores, como Constança Capdeville e Victorino d’Almeida. Todos lhe dedicaram peças e a pianista estreou várias composições suas.

Lecionou no Conservatório Nacional e na Escola Superior de Música de Lisboa até novembro de 2008.

Leia Também: Ferro Rodrigues lembra “nome maior do panorama musical português”

Deixe um comentário