Paulo Assim vence Prémio Literário Afonso Lopes Vieira 2022

Paulo Jorge Carreira, residente em Calvaria de Cima, concelho da Batalha, no distrito de Leiria, apresentou sob pseudónimo a obra “Lume”, que o júri considerou, por unanimidade, o melhor trabalho entre os 96 concorrentes, submetidos por autores de Portugal, mas também do Canadá, Suécia, França, Cabo Verde e Israel. 

A poesia de Paulo Assim, como é conhecido no meio literário, revela “a qualidade de uma escrita enxuta e limpa, salpicada de chamas alimentadas pela escrita do poema”, defende Cristina Nobre, escritora e investigadora, um dos elementos do júri, cuja argumentação é citada pelo município em comunicado. 

Do júri fez também parte o ensaísta Manuel Frias Martins, presidente da Associação Portuguesa de Críticos Literários, que encontrou em “Lume” “um bom domínio da linguagem e uma aptidão muito interessante para a construção de imagens”.

Outro jurado, David Arede, técnico superior do Departamento de Educação do Município de Leiria, realça o facto do poeta recorrer a “metáforas fortes, jogos de palavras, hipérboles” para dar “ênfase aos sentimentos e amores da juventude”, decorrendo da leitura um “constante apelo aos sentidos”.

O Prémio Literário Afonso Lopes Vieira, no valor de 5 mil euros, é atribuído de dois em dois anos. A próxima edição é dedicada à modalidade novela e conto.

Autor de romances, conto e poesia, Paulo Assim tem visto a sua escrita distinguida nos últimos anos, nomeadamente com os prémios Paulo Harris (2005), Gaspar Fructuoso (2009), Vila de Fânzeres (2010 e 2011), Sebastião da Gama (2011), Horácio Bento Gouveia (2012), Manuel Maria Barbosa du Bocage (2013), Fundação Dr. Luís Rainha – Correntes d’ Escritas (2013), Raul de Carvalho (2013), Soledade Summavielle – Núcleo de Artes e Letras de Fafe (2013) e Cidade de Almada (2017).

Leia Também: Curta de animação portuguesa ‘Garrano’ selecionada para festival nos EUA

Deixe um comentário