Pedro Penim no D. Maria II "é fator de enorme tranquilidade"

“Já sabemos que a direção artística do D. Maria ficará nas mãos muito eficazes, criativas, imaginativas e enérgicas do Pedro Penim”, sublinhou Tiago Rodrigues, numa entrevista à agência Lusa, antes da apresentação da temporada 2021-2022 daquele teatro, a última delineada por si.

Em 05 de julho, Tiago Rodrigues foi anunciado, durante a 75.ª edição do Festival de Avignon, em França, pela ministra da Cultura daquele país como novo diretor artístico do certame, sucedendo a Olivier Py, em setembro de 2022.

Tiago Rodrigues, que foi Prémio Pessoa em 2019, é o primeiro estrangeiro a assumir a direção daquele festival, criado pelo ator e encenador Jean Vilar, em 1947, que o dirigiu até à morte, em 1971.

Sobre a sua sucessão por Pedro Penim à frente da direção artística do D. Maria II, Tiago Rodrigues considerou ainda “muito importante” que “rapidamente” se soubesse quem o iria suceder, uma vez que a sua função naquele teatro em Lisboa “estava em final de ciclo”.

“E, portanto, não só a escolha é uma escolha absolutamente excelente, como o ‘timing’, que é um ‘timing’ que permite a passagem de pasta tranquila, calorosa e rigorosa, e permite, sobretudo, manter a estabilidade de uma casa que, com o nível de ambição, com as complexidades, com o volume de trabalho, com a dinâmica do D. Maria, precisa de manter”, sublinhou.

“Eu e o Pedro estamos a trabalhar, a comunicar e a assegurar desde já a passagem da pasta, que acho que vai acontecer solidamente nos próximos meses”, disse, acrescentando estarem os dois em diálogo com o conselho de administração do teatro e com a tutela para definir a data em concreto.

“Trata-se de um formalismo, saber qual é o dia em que Tiago Rodrigues deixa de descontar para os impostos e para o IRS e para a Segurança Social pelo D. Maria e em que dia é que começa o Pedro Penim”, frisou.

Pedro Penim foi nomeado, em 18 de agosto, pela ministra da Cultura, novo diretor artístico do D. Maria II, por um período de três anos. Na altura da nomeação, o Ministério da Cultura frisou o facto de ter sido fundador do Teatro Praga, “uma companhia emblemática da criação teatral portuguesa contemporânea”.

Tiago Rodrigues disse ainda esperar deixar a Pedro Penim, que “é não só um artista, mas um pensador muito interessante do teatro, a liberdade, a autonomia e a confiança para pensar e para imaginar o seu projeto” para aquela instituição cultural situada em Lisboa.

Nascido em Lisboa em 1975, Pedro Penim criou também o espaço Rua das Gaivotas 6.

Leia Também: Mentoria a músicos emergentes em três concertos no Teatro Aveirense

Deixe um comentário