Pintura de Vieira da Silva vai a leilão da Christie’s dedicado a mulheres

 

A pintura ‘La ville, la nuit’, com uma estimativa entre 30 mil e 50 mil euros, surge entre as obras em destaque apresentadas pela Christie’s neste leilão em que também se encontram representadas Niki de Sant Phale (1930-2002), Sarah Morris (1967), Dora Maar (1907 -1997), ou Sheila Hicks (1934).

Proveniente da coleção de arte de Max-Pol Fouchet (1913-1980), poeta, romancista, historiador de arte, crítico literário e de música, a tela foi oferecida por Vieira da Silva quando ambos se conheceram durante a rodagem de um documentário sobre a pintora.

O leilão, o primeiro totalmente dedicado ao trabalho de mulheres artistas de várias nacionalidades ao longo de cinco séculos, que a Christie’s realiza em França, irá cobrir todos os suportes criativos, desde escultura, pintura, livros, cartas autografadas, fotografia, gravura, design, joalharia e moda.

Entre as artistas selecionadas pela Christie´s para este leilão também figura Sonia Delaunay (1885-1979), pintora, ‘designer’, figurinista e cenógrafa de origem ucraniana que se radicou em França, e casou com o artista francês Robert Delaunay.

Fugindo da I Guerra Mundial, o casal mudou-se, com o filho Charles, para Vila do Conde entre o verão de 1915 e início de 1917, e viveu numa casa a que chamou ‘La Simultané’, onde aprofundaram amizade com os pintores Amadeo de Souza-Cardoso, Almada Negreiros, Eduardo Viana e Samuel Halpert.

Sonia Delaunay foi a primeira artista feminina cuja obra foi alvo de uma exposição ainda em vida no Museu do Louvre, em Paris, em 1964.

George Sand, Dorothea Tanning, Ayako Rokkaku, Claude Cahun, Leonor Fini, Berthe Morisot, Adelaide Labille Guiard, Maria Lai, Anne Vallayer-Coster, Alicia Penalba, Berthe Morisot, Maria Pergay, Edith Piaf, Louyse Moillon, Boi Tran, Claire Stansfi, Alice Paalen, Elisabeth Vigee le Brun, Marie Laurencin, Renée Vivien, Maria Pergay, Jiang Qiong Er, Meret Oppenheim, Veuve Duvinage, Boi Tran, Dadamaino, Ayako Rokkaku, Carole Benzaken, Suzette Lemaire, Vernon Lee, Bettina Rheims, Elsa Schiaparelli, Lavinia Fintana, são outras das artistas e escritoras cuja obra estará representada neste leilão.

Alice Chevrier, especialista em livros raros e manuscritos, e Bérénice Verdier, especialista em pintura antiga, responsáveis pelo leilão, explicam, num comunicado sobre a venda, que, devido às várias exposições que têm sido recentemente dedicadas na Europa a mulheres artistas, pareceu-lhes “um bom momento” para colocar este foco no mercado da arte, e “trazer à luz as carreiras destas artistas, algumas delas na sombra há demasiado tempo”.

Na próxima segunda-feira, a pintura ‘L’Inondation’, de Maria Helena Vieira da Silva, vai ser leiloada em Lisboa, integrada num catálogo dedicado a arte moderna e contemporânea, com estimativa máxima de 350 mil euros, num leilão organizado pela Veritas.

Pintada em 1954, ‘L’Inondation’ – que vai a leilão com um intervalo de valor estimado entre os 250 mil e os 350 mil euros – pertence a uma década em que Vieira da Silva (1908-1992), se consagrou internacionalmente, estando representada no catálogo ‘raisonné’ da artista.

O óleo sobre tela esteve presente em exposições como a primeira retrospectiva na Kestner-Gesellschaft, em Hannover, na Alemanha, em 1958.

Em julho de 2020, o quadro a óleo ‘Tours d’arme’, criado no mesmo ano pela pintora portuguesa, foi apresentado entre obras de arte do século XX num leilão internacional da Christie’s, com uma estimativa entre 600 mil e 800 mil euros, mas não chegou a ser vendido.

Em 2018, outra obra de Vieira da Silva, ‘L’Incendie 1’, foi leiloada em Londres, pela mesma leiloeira, por um valor recorde para a artista de 2,290 milhões de euros.

Leia Também: Obras da coleção Novo Banco em nova galeria em Reguengos de Monsaraz

Deixe um comentário