Presidente da República felicita Tiago Pitta e Cunha pelo Prémio Pessoa

Numa mensagem publicada na página oficial da Presidência da República na Internet, o chefe de Estado “felicita calorosamente” Tiago Pitta e Cunha pela atribuição do Prémio Pessoa, hoje anunciada.

“Trata-se de um justo reconhecimento a quem, com paixão e talento, dedicou a sua vida profissional, nas Nações Unidas, na União Europeia, como consultor da Presidência da República e, atualmente, como presidente da Comissão Executiva da Fundação Oceano Azul, ao mar”, lê-se na nota.

Segundo o chefe de Estado, “ao atribuírem este prémio, as entidades promotoras estão também a distinguir todos os que dedicaram e dedicam a sua vida ao mar, nas suas extensas e profundas dimensões”.

“O mar é um desígnio nacional. O mar foi, é, e será sempre, um elemento maior da geografia e da alma de Portugal. A proteção dos oceanos e a valorização dos seus recursos é uma questão fundamental do nosso presente e do nosso futuro”, considera Marcelo Rebelo de Sousa.

O Presidente da República pede que se continue a valorizar este património coletivo “através da investigação e conhecimento, nas dimensões ambiental, científica e económica, defendendo e promovendo internacionalmente a posição de Portugal como país com vocação, inequivocamente, marítima”.

Tiago Pitta e Cunha é membro do conselho de administração e diretor da comissão executiva da Fundação Oceano Azul, ligada à Fundação Francisco Manuel dos Santos, que tem a concessão do Oceanário de Lisboa. Foi consultor do anterior Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva.

O Prémio Pessoa, no valor de 60 mil euros, é uma iniciativa do semanário Expresso com o patrocínio da Caixa Geral de Depósitos que visa reconhecer a atividade de portugueses com papel significativo na vida cultural e científica do país.

O júri, presidido por Francisco Pinto Balsemão, decidiu distinguir Tiago Pitta e Cunha considerando-o uma das “personalidades mais reconhecidas e relevantes — em Portugal, na Europa e no plano internacional — na luta pela necessária mudança de atitude das sociedades humanas em relação aos assuntos do mar e dos oceanos”.

De acordo com Francisco Pinto Balsemão, presidente do conselho de administração do grupo Impresa, nesta escolha o júri teve em conta “o rigor e a persistente coerência de mais de duas décadas e meia dedicadas integralmente a trazer a importância do mar para a agenda política e cultural nacional, europeia e global”.

Balsemão referiu que Tiago Pitta e Cunha e a Fundação Oceano Azul “têm impulsionado a criação de alianças entre múltiplos interesses públicos e privados” que resultaram na criação de áreas de proteção dos ecossistemas marinhos.

Além de Francisco Pinto Balsemão, fizeram parte do júri do Prémio Pessoa 2021 Emílio Rui Vilar, Ana Pinho, António Barreto, Clara Ferreira Alves, Diogo Lucena, Eduardo Souto de Moura, José Luís Porfírio, Maria Manuel Mota, Pedro Norton, Rui Magalhães Baião, Rui Vieira Nery e Viriato Soromenho-Marques.

Leia Também: Tiago Pitta e Cunha vence Prémio Pessoa 2021

Deixe um comentário