Programa de arte fora de portas da Gulbenkian chega a Chelas, em Lisboa

No Parque da Bela Vista, em Chelas, inaugurará no sábado a obra “4 Olhos»/«4 Odju”, que consiste numa instalação sonora e visual dentro de um contentor marítimo e um mural de arte urbana no exterior.

De acordo com a Fundação Calouste Gulbenkian, este projeto participativo é assinado pelo artista António-Pedro e por um grupo de moradores dos bairros de Chelas com a colaboração de Nuno Varela, das associações Chelas é o Sítio, Rimas ao Minuto e Estúdio Kriativu.

O objetivo desta obra de arte é “cruzar o olhar de quem não vai ao Centro de Arte Moderna [daquela fundação] com o olhar de quem não vai ao bairro”, explicou António-Pedro em comunicado.

A fundação adianta que a instalação sonora e visual no contentor “devolve aos espectadores os elementos criados durante o processo de trabalho”, e as imagens serão vistas pelos visitantes a partir do exterior, por pequenas aberturas, “à semelhança dos primeiros aparelhos de fruição cinematográfica”.

Além de António-Pedro, em “4 Olhos»/«4 Odju” participam Beatriz Lopes, Carlos Rosa, Érica Pinto, G Fema, Jimit Parbote, José Carlos Sampaio, Lucas Araújo, Luís Mateia, Marta Macedo, Nelson David Rosário, Ricardo Teixeira, Sérgio Pereira, Tatiana Sousa, Wilson Lopes e Yannick Landu.

“4 Olhos»/«4 Odju” é a mais recente iniciativa do projeto “CAM em Movimento”, da Fundação Calouste Gulbenkian, iniciado em outubro passado, porque o Centro de Arte Moderna está encerrado para obras de remodelação.

Em outubro, na apresentação do “CAM em Movimento” aos jornalistas, o diretor do centro de arte, Benjamin Weil, explicou que o projeto é um “momento de transição, ideal para experimentar novas formas de exposição”.

“Tudo o que estamos a fazer agora são experiências para preparar a reabertura. Uma vez que o centro de arte está encerrado, queremos estender a mão aos visitantes e que a experiência da arte faça parte da vida quotidiana de todos”, explicou à agência Lusa.

O contentor “4 Olhos»/«4 Odju” ficará no Parque da Bela Vista, em Chelas, até dezembro.

Leia Também: Passar uns minutos a ver arte (online) faz bem à saúde mental

Deixe um comentário