‘Remake’ de ‘O pai tirano’ estreia na 5.ª feira nos cinemas

‘Suzanne Daveau’ é um documentário de Luísa Homem sobre a geógrafa e professora franco-portuguesa Suzanne Daveau, 97 anos, cruzando imagens de arquivo, fotografias e testemunho da própria investigadora.

“Através das suas memórias, circulamos por inúmeros territórios e contextos históricos, entre o início do século xx e os dias de hoje. O filme traça, em quatro capítulos, o retrato de uma mulher aventureira, distinta e intemporal”, lê-se na sinopse.

Suzanne Daveau nasceu em Paris, em 1925, licenciou-se me Geografia, foi professora em França e no Senegal, vive em Portugal desde os anos 1960, tendo sido casada com o geógrafo Orlando Ribeiro.

Autora de mais de uma centena de publicações sobre temas ligados à Geografia, Suzanne Daveau foi ainda professora nas faculdades de Letras da Universidade de Lisboa e da Universidade do Porto e diretora-adjunta do Centro de Estudos Geográficos de Lisboa.

Desde a estreia em 2019, no DocLisboa, e antes de chegar aos cinemas portugueses, o filme de Luísa Homem já foi exibido em vários territórios, como Brasil, Países Baixos, Equador, Indonésia, Chile, Grécia e Estados Unidos.

Produzido pela Terratreme Filmes, ‘Suzanne Daveau’ é a primeira longa-metragem de Luísa Homem, que já tinha corealizado dois documentários: ‘As cidades e as trocas’ (2014), com Pedro Pinho, e ‘São Tomé: No trilho dos naturalistas’ (2016), com Tiago Hespanha.

Esta semana estreia-se ainda nos cinemas uma nova versão da comédia ‘O Pai Tirano’, realizada por João Gomes.

O filme é produzido por José Francisco Gandarez e conta com argumento de Patrícia Muller e Miguel Viterbo, adaptando para 2022 uma história original passada nos anos 1940: “Chico ama Tatão, que é cortejada por Artur. Graça ama Chico mas não sabe que ele ama Tatão”.

O elenco desta nova comédia conta com nomes como José Raposo, Carolina Loureiro, Rita Loureiro, Mafalda Vilhena, Jessica Athayde e Rita Blanco.

‘O Pai Tirano’, o filme original, estreou-se em 1941, com realização de António Lopes Ribeiro e com Vasco Santana, Ribeirinho, Laura Alves, Leonor Maia e Graça Maria, no elenco.

‘O pai tirano’ é considerado um clássico do cinema português, juntando-se a outras obras de comédia como ‘A canção de Lisboa’ (1933) e ‘O pátio das cantigas’ (1942), e é também o primeiro filme da produtora de António Lopes Ribeiro.

A nova versão do filme representa ainda a estreia de João Gomes nas longas-metragens, uma vez que do seu currículo faz parte sobretudo realização de telenovelas.

De acordo com dados do Instituto do Cinema e Audiovisual, este ano, até 13 de julho, estrearam-se 27 filmes de produção portuguesa, e o mais visto foi ‘Salgueiro Maia – O implicado’, de Sérgio Graciano, com 15.901 espectadores.

No primeiro semestre deste ano, a exibição de filmes portugueses nas salas de cinema totalizou 52.053 espectadores e 256.829 euros de bilheteira, representando uma quota de apenas 1,3% e 1,1%, respetivamente, do total de audiência e receitas de bilheteira.

Leia Também: Cinema de Chema García Ibarra retira fantástico à ‘sci fi’ em Elche

Deixe um comentário