Teatro ‘Sem Medo’ para crianças estreia-se no Centro Cultural de Belém

“Não ter medo é ser capaz de ouvir e reconhecer o outro”, lê-se na apresentação da obra, para a qual a encenadora e dramaturga Teresa Coutinho se inspirou também nos romances ‘Simão sem medo’, de Miguel Granja, e ‘Aventuras de João sem Medo’, de José Gomes Ferreira.

A protagonizar ‘Sem medo’ está Simone, uma menina “corajosa” que faz “uma viagem profunda pelo seu universo onírico, em busca de alguém que perdeu e do seu lugar no mundo”, acrescenta o CCB numa breve apresentação do espetáculo.

Numa analogia com Alice, figura central de ‘Alice no país das maravilhas’, do britânico Lewis Carroll, Simone também entra pelo espelho em busca da sua avó, numa viagem em que se confronta com a experiência do luto, a especificidade do outro, e constitui uma busca “pela coragem e valentia”.

O espetáculo “devolve-nos um mundo plural, tendo uma forte componente de vídeo, permitindo expandir os limites do espaço físico e, por isso, levar-nos a muitos destes lugares visitados pela personagem e aos obstáculos que esta encontra, na sua ‘jornada de heroína'”, lê-se na apresentação do CCB.

A coragem “contagiante da criança mede-se pela sua abertura ao desconhecido, lembrando-nos de que ‘não ter medo é ser capaz de ouvir e reconhecer o outro'”.

Direcionada para crianças a partir dos seis anos, ‘Sem medo’ é “a oportunidade de pensar sobre a relação da criança com o medo”, num espetáculo em que “a possibilidade de autoquestionamento e de escuta do outro são pilares da coragem e valentia de Simone”, afirma a encenadora e escritora Teresa Coutinho sobre a sua criação.

A experiência do luto é o ponto de partida de Simone para uma viagem “interna que elucidará a personagem sobre a importância da herança e da influência na construção da identidade e da autoestima”, sublinha a criadora.

“A valentia não é, em ‘Sem Medo’, a ausência de medo, mas o exercício da alteridade e da persistência”, frisa Teresa Coutinho. Porque é graças à sua travessia, que Simone percebe que “sermos fiéis a nós próprias, cumprirmo-nos é uma forma de honrar aquelas que nos amaram e acreditaram em nós”.

“Mantê-las vivas é não só lembrá-las, mas perseguirmos os nossos sonhos com os ensinamentos que estas nos deram”, conclui a criadora.

A interpretar ‘Sem medo’ estão Tânia Alves, Ana Baptista, Cláudio de Castro e Ana Valentim.

Com desenho de luz de Daniel Worm d´Assumpção, figurinos de Bárbara Felicidade e sonoplastia de Teresa Coutinho e Lúcia Pires, ‘Sem medo’ é uma produção conjunta do CCB, Agência 25 e Teatro Nacional S. João (TNSJ).

De 14 a 18 de fevereiro, o espetáculo será representado no TNSJ – Carlos Alberto, no Porto, onde terá cinco récitas.

No Pequeno Auditório do CCB, “Sem medo” pode ser visto entre 01 e 05 de fevereiro.

As récitas de dias 1, 2 e 3 de fevereiro destinam-se a escolas, e as dos dias 4, às 15:30, e 5, às 11:30, a famílias.

Leia Também: Casa da Música, Serralves e CCB recebem 24,7 milhões de euros em 2023

Deixe um comentário