Theatro Circo de Braga com "temas da negritude na música urbana nacional"

“A 22 de abril, Dino D’Santiago, figura central da música portuguesa que trabalha a tradição cabo-verdiana com o peso contemporâneo da eletrónica global, abre a primeira edição do ‘Paraíso’, lugar ideal na abertura à música urbana, afrodescendente e lusófona”, lê-se num comunicado hoje divulgado, no qual o Theatro Circo anuncia a programação para os meses de março e abril.

“Paraíso” foi pensado para promover “um espaço de diálogo, através de espetáculos ao vivo, e conversas/debates que reflitam os temas da negritude na música urbana nacional”.

A primeira data do ciclo inclui, além do concerto de Dino D’Santiago, “uma conversa organizada pela Bantumen [publicação ‘online’ que procura refletir a atualidade da cultura negra da lusofonia], que tem como tema ‘O Bairro Venceu – como ultrapassar os estereótipos e trilhar um caminho em direção ao sucesso'”, e que contará com a participação do cantor.

O ciclo “Paraíso” é um dos destaques da programação do Theatro Circo para março e abril, a par com as atuações do compositor alemão Sven Helbig, em antecipação do festival Respira, das cantoras brasileiras Agnes Nunes e Mari Froes, da fadista Carminho, da estreia do projeto Sangue Suor, no dia do 108.º aniversário daquele equipamento cultural de Braga, e da apresentação de várias peças de teatro.

O compositor alemão Sven Helbig atua em 18 de março, com um “ensemble de piano, violino, viola e violoncelo a complementar a sua eletrónica”. “Na bagagem, o compositor que se destaca pela sua visão modernista, trará não apenas o mais recente álbum ‘Skills’, mas também peças chave que nos transportarão pela sua brilhante carreira”, salienta o Theatro Circo.

Agnes Nunes, “reconhecida como um dos maiores nomes da nova geração da MPB [Música Popular Brasileira] e cuja música transita entre géneros musicais como a MPB, o forró e o blues”, tem concerto marcado para 01 de abril. A primeira parte do espetáculo fica a cargo de Mari Froes, “artista goiana que traz composições que carregam uma identidade singular ao transitar pelos ritmos brasileiros com sensibilidade e perspicácia”.

O concerto de Carminho, de apresentação de “Portuguesa”, o sexto álbum de “uma das maiores vozes do Fado”, está agendado para 14 de abril.

Para o dia do 108.º aniversário do Theatro Circo, 21 de abril, está marcada a estreia da banda Sangue Suor, composta pelos bateristas Rui Rodrigues, Ricardo Martins e Susie Filipe, e que “surgiu a partir de um convite do Theatro Circo a Rui Rodrigues para criação de um tema comemorativo do aniversário em 2021”.

“Passados dois anos, Sangue Suor evoluiu para um espetáculo e para o lançamento conjunto de um disco. Um momento raro no panorama musical português, elevando a importância da percussão e de três importantes bateristas na busca de liberdade criativa, novos sons, fúria, desassossego, fusão e experimentação”, destaca o Theatro Circo.

As apresentações de teatro começam logo em 01 de março com a comédia “A Mentira”, “protagonizada pelas estrelas do teatro brasileiro Miguel Falabella e Danielle Winits”, que estará em cena até dia 05.

“Reflexão leve e divertida sobre os limites da sinceridade e da lealdade nas relações pessoais, ‘A Mentira’ abre um diálogo instigante sobre a verdade, traçando um paralelo com a realidade onde não se sabe mais o que é verdade e o que é mentira”, lê-se no comunicado.

O coletivo SillySeason leva ao palco do Theatro Circo, em 30 e 31 de março, “Rei Édipo”, numa encenação que parte do ‘cânone ocidental’ do mito edipiano de Sófocles para a contemporaneidade, permitindo uma reinterpretação e reescrita do tempo presente”.

A programação do Theatro Circo para março e abril inclui também, entre outros, a exposição “Figurinos! Em Cena!”, que leva para o Salão Nobre “criações da figurinista Cláudia Ribeiro que se destaca pelo trabalho desenvolvido com os mais diversos autores e em artes performativas tão diversas com o teatro, música, ópera, ballet, televisão e cinema”, o espetáculo infantil “Nuvens”, de Joana Araújo e Ricardo Baptista, e a atuação do músico neerlandês Jozef Van Wissem, que irá apresentar a banda sonora que compôs para o filme “Nosferatu” (1922) a convite da Cinemateca francesa.

A programação completa, com datas, horários e informações sobre bilhetes, pode ser consultada no ‘site’ do Theatro Circo, em www.theatrocirco.com.

Leia Também: Teatros de Leiria lançam iniciativa para captar espetadores surdos

Deixe um comentário