Visão humanista de artistas no Estado Novo vai estar em exposição

A nova mostra de longa duração intitula-se “A coragem da gota de água é que ousa cair no deserto – A coleção do Museu do Neo-Realismo e outras obras em depósito” e reúne peças das reservas daquele espaço museológico, segundo informação do museu.

Com curadoria de David Santos e Paula Loura Batista, a exposição pretende “testemunhar como a produção artística neorrealista contribuiu, e continua a contribuir, para a afirmação de uma visão humanista face à realidade social e ao contexto adverso do Estado Novo”.

Os temas referenciais da produção artística do movimento neorrealista estarão expressos em obras de pintura, escultura, desenho, fotografia, gravura, ilustração e cerâmica, provenientes da Coleção do Museu do Neo-Realismo e outras coleções depositadas, associando-se ainda obras de artistas de outras geografias.

A exposição integra igualmente um conjunto de fotografias selecionadas da Coleção “A Família Humana”, incorporada recentemente no acervo, por intermédio do seu curador, Jorge Calado, reunindo 375 fotografias de mais de 175 artistas, homens e mulheres de 25 nacionalidades que fotografaram em 60 países dos cinco continentes.

Nesta coleção estão representados mestres da história da fotografia como Bruno Barbey, Edouard Boubat, Jack Delano, Alfred Eisenstaedt, Micha Bar-Am, Gisèle Freund, Toni Frissell, Tim Gidal, John Gutmann, Ernst Haas, Bert Hardy, Lewis Hine, Pierre Jahan, Russell Lee, Nina Leen, Don McCullin, Lennart Nilsson, Arthur Rothstein, David Seymour e Erika Stone, entre outros, alguns dos quais trabalharam em Portugal, além de fotógrafos portugueses como Carlos Relvas, Ernesto de Sousa e José M. Rodrigues.

A exposição “A coragem da gota de água é que ousa cair no deserto – A coleção do Museu do Neo-Realismo e outras obras em depósito”, de entrada livre, é inaugurada no sábado, às 16h00.

Leia Também: Obra do Museu da Língua de Bragança bloqueada nos tribunais

Deixe um comentário