‘Vou falar de ti a toda a gente’ estreia em Cascais na próxima semana

‘Vou falar de ti a toda a gente’ tem encenação de Rodrigo Aleixo, que coassina o texto dramatúrgico com Francisco Monteiro Lopes, e estará em cena de 4 a 8 de janeiro no Teatro Municipal Mirita Casimiro, casa do Teatro Experimental de Cascais.

A peça começou a ser pensada em 2020, “numa altura em que o mundo presencia uma grande mutação, provocada por uma pandemia que causa diversas interrogações, e onde os conceitos de vida e morte levantam muitas dúvidas”, explica o Teatro Gíria em comunicado.

Toda a ação da história gira em torno de “alguém especial para todos que subitamente morreu”, ficando três amigos obrigados a “pôr de lado as suas divergências” para homenagearem o amigo ausente.

“Nesta criação, são abordadas religiões, ideologias, e formas de encarar a vida e a morte, diferentes. Surgem diversos conflitos entre egos e crenças pessoais daqueles que ficam, ignorando aquela que seria a forma mais justa e altruísta de homenagear quem morre”, lê-se na nota de imprensa.

O Teatro Gíria revela que houve uma “outra forte motivação para a criação” desta peça, depois da morte do ator Filipe Duarte em abril de 2020.

‘Vou falar de ti a toda a gente’ conta com interpretações de Francisco Monteiro Lopes, João Gaspar, Miguel Amorim e Pedro Russo.

Este espetáculo contou com financiamento da segunda edição das bolsas de criação O Espaço do Tempo, BPI/Fundação La Caixa.

O Teatro Gíria é uma estrutura cultural recente, fundada este ano por Francisco Monteiro Lopes, Rodrigo Aleixo e Patrícia Fonseca, e que se estreou em setembro passado com “El Duende Flamenco”.

Em novembro, representou Portugal no Festival Voilá! Europe, em Londres, com o espetáculo “A 20 de novembro”, com texto de Lars Norén.

Depois de ‘Vou falar de ti a toda a gente’, o Teatro Gíria estreará em maio de 2023 “FREE!!!”, com texto de Miguel Graça e encenação de Rodrigo Aleixo, em coprodução com o Teatro Experimental de Cascais.

Leia Também: Linhares da Beira em processo de reclassificação para monumento nacional

Deixe um comentário