‘A Flor do Buriti’ de Renée Nader Messora e Salaviza estreia-se em Cannes

‘A Flor do Buriti’, que fará a estreia mundial em Cannes na secção ‘Un Certain Regard’, é a segunda longa-metragem coassinada por João Salaviza e Renée Nader Messora, rodada com o povo indígena Krahô, do Brasil.

”A Flor do Buriti’ atravessa os u´ltimos 80 anos dos Kraho, dando a conhecer ao espectador um massacre ocorrido em 1940, onde morreram mais de dezenas indi´genas. Perpetrado por dois fazendeiros da regia~o, as viole^ncias praticadas naquele momento continuam a ecoar na memo´ria das novas gerac¸o~es’, lê-se na sinopse.

De acordo com a produtora Karõ Filmes, os dois realizadores rodaram o filme durante quinze meses na terra indígena Kraholândia, onde já tinham feito ‘Chuva e´ Cantoria na Aldeia dos Mortos’ (2018).

Em nota de imprensa, os realizadores lembram que, “em 1969, durante a Ditadura Militar, o Estado Brasileiro incita muitos dos sobreviventes a integrarem uma unidade militar. Hoje, diante de velhas e novas ameac¸as, os Kraho^ seguem caminhando sobre a sua ‘terra sangrada’, reinventando diariamente as infinitas formas de resistência”.

A 76.ª edição do Festival de Cinema de Cannes decorrerá de 16 a 27 de maio e a programação foi anunciada hoje em Paris por Iris Knobloch, a primeira mulher a presidir ao festival, e Thierry Fremaux, delegado-geral do evento.

 

SS // MAG

Lusa/fim

Deixe um comentário