"A obra de Graça Morais faz-se na fidelidade e na coerência", diz Costa

O primeiro-ministro, António Costa, recorreu esta quarta-feira à rede social Twitter para prestar uma homenagem à pintora Graça Morais, no dia em que esta recebeu o doutoramento ‘Honoris Causa’ pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD). 

“A obra de Graça Morais faz-se na fidelidade e na coerência. Fidelidade às origens; coerência da forma e do sentido”, começou por apontar o governante.

Na mesma publicação, António Costa diz ter feito “questão de estar presente nesta homenagem tão merecida, renovando o testemunho” da “grande estima e longa admiração” que diz nutrir por Graça Morais “e pela autenticidade, atualidade e vigor da sua obra.”

Na perspetiva do primeiro-ministro, a atribuição de um doutoramento ‘Honoris Causa’ pela UTAD à artista trata-se de um “ato de justiça e um tributo a quem nunca deixou terras e gentes transmontanas, fazendo delas o centro da sua arte”.

Fiz questão de estar presente nesta homenagem tão merecida, renovando o testemunho da minha grande estima e longa admiração por Graça Morais e pela autenticidade, atualidade e vigor da sua obra. pic.twitter.com/LmMKOz9dy6

— António Costa (@antoniocostapm) May 11, 2022

Anteriormente, numa mensagem gravada em vídeo que foi transmitida durante a cerimónia de atribuição da distinção, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, tinha já afirmado que Graça Morais “honra Portugal, prestigia Portugal, cá dentro e lá fora”.

Já a artista disse estar “muito contente” por aquele que considera ser “o reconhecimento” da sua “obra” e da sua “pessoa”.

Aos 74 anos, Graça Morais torna-se na segunda mulher a ser distinguida com o doutoramento ‘honoris causa’ pela UTAD. A primeira foi a escritora Agustina Bessa-Luís, em 2018.

Leia Também: Graça Morais diz que ‘honoris causa’ da UTAD é reconhecimento importante

Deixe um comentário