Albuquerque anuncia museu de Colombo e Descobrimentos no Porto Santo

“O Porto Santo vai ampliar o Museu Colombo”, disse o governante madeirense na sessão solene do Dia do Concelho do Porto Santo, adiantando que o objetivo é “abrir um museu que honre a história, a identidade e a singularidade da ilha como ponto de partida da expansão portuguesa”.

O chefe do executivo madeirense argumentou que Portugal “não deve ter vergonha da sua história gloriosa, porque esteve em todas as zonas do mundo”, apontando que todas as peças a mostrar neste núcleo estarão relacionados com locais onde os portugueses estiveram presentes.

“Este museu vai chamar-se de Colombo e dos Descobrimentos Portugueses”, acrescentou Albuquerque, opinando que esta epopeia “não é símbolo de opressão, mas de coragem, abertura ao mundo e cosmopolitismo que ficará perpetuado” naquele espaço.

O Porto Santo tem neste momento a Casa-museu Cristóvão Colombo – um espaço que assinala a passagem do descobridor na ilha, onde residiu e casou com uma das filhas do capitão donatário Bartolomeu Perestrelo -, que abriu em 1989 e foi reestruturado em 2004.

O líder madeirense também realçou os “passos gigantescos na modernização, no progresso e desenvolvimento integral” do Porto Santo, numa “transformação abismal registada desde os anos 60”.

“O objetivo é continuar a trabalhar, a dar passos importantes e cada vez mais consistentes no sentido de garantir às novas gerações qualidade de vida e acesso a tudo aquilo que têm direito”, sublinhou.

Miguel Albuquerque referiu que o Porto Santo — a segunda ilha habitada do arquipélago da Madeira, com uma população de cerca de 5.000 pessoas – tem “um problema de dupla insularidade, mas é uma ilha singular”, com um grande potencial de atração.

Mas, as “grandes vantagens competitivas da ilha têm de ser tratadas com grande cuidado para evitar a massificação”, vincou.

Albuquerque ainda assegurou que todos os compromissos que assumiu com a população do Porto Santo vão ser cumpridos, mencionando a aposta na educação, que considerou ser “o principal desafio das ilhas neste momento”, e o apoio na mobilidade com o pagamento do subsídio de mobilidade.

Também falou da importância da construção da nova unidade de saúde do Porto Santo e o objetivo de aumentar o número de camas no lar de idosos.

Leia Também: Concessão da linha aérea com Porto Santo prolongada

Deixe um comentário