Ana Moura: “Era miúda e já me chamavam voz de bagaço. Cheguei a pensar que não tinha voz para fado”

“Sempre que atendia o telefone de casa, os amigos dos meus pais pensavam que eu era o meu irmão. Confesso que pensei: ‘não tenho voz para fado’. Fui aprendendo a aceitar a voz que tinha”. Ana Moura, desempoeiradamente, para ouvir no Posto Emissor
Blitz
Read More

Deixe um comentário