Bordalo II com obra feita de brinquedos doados por crianças de Famalicão

O ‘Musaranho’, nome de um dos mamíferos mais pequenos do mundo, que se alimenta de insetos e cujo aspeto é semelhante ao de um rato, “foi elaborado com recurso a mais de 1.000 brinquedos velhos e estragados, doados por crianças do pré-escolar e primeiro ciclo do concelho”, lê-se num comunicado da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão hoje divulgado.

A peça, com cerca de quatro metros de altura integra a série ‘Big Trash Animals’ (‘Grandes Animais de Lixo’, em português), que consiste em retratos de animais feitos com aquilo que os destrói.

Recriar um musaranho, e não outro animal qualquer, “não foi ao acaso”.

“Como este projeto teve uma forte participação das crianças, fez todo o sentido escolher um animal pequenino, enérgico e divertido, tal como elas. Pela sua aparência redondinha e cara peculiar, acreditamos que as crianças vão gostar bastante desta figura pequena agora transformada em escultura enorme – tal como elas, que também estão a crescer e um dia se tornarão grandes”, explicou Bordalo II, citado no comunicado da autarquia.

A recolha dos brinquedos que o artista utilizou na criação de ‘Musaranho’ envolveu 1.188 crianças de 18 escolas do pré-escolar e primeiro ciclo de Vila Nova de Famalicão.

Esta ação de recolha dos brinquedos “decorreu no âmbito do projeto ‘Bordalinhos’, desenvolvido com as Eco-Escolas do concelho com o objetivo de consciencializar para o consumo exacerbado de brinquedos e para a opção por brinquedos mais sustentáveis”.

De acordo com a autarquia, “cada criança doou dois brinquedos: um estragado ou velho para a obra de Bordalo II e outro, em bom estado, para ser doado às Lojas Sociais do município”.

A obra de Bordalo II, a ser inaugurada em 05 de junho, Dia Mundial do Ambiente, ficará instalada no topo Sul da Praça D. Maria II.

Artur Bordalo (Bordalo II – o primeiro era o avô, o artista plástico Real Bordalo), nascido em Lisboa, em 1987, começou pelo ‘graffiti’, que o preparou para o trabalho pelo qual se tornou conhecido: esculturas feitas com recurso a lixo e desperdícios.

Nos últimos anos, Bordalo II tem ‘espalhado’ animais um pouco por todo o mundo.

Em Portugal, é possível ver-se animais criados por Bordalo II em cidades como Lisboa, Estarreja, Loures, Vila Nova de Gaia, Faro, Coimbra, Águeda e Covilhã.

Leia Também: De Zeca Afonso a Bordalo II, estas são as (dez) moedas de coleção de 2023

Deixe um comentário