Centro Português do Surrealismo expõe 82 obras do inglês Philip West

Em comunicado, a FCM acrescenta que a exposição, denominada “Selva de objetos fragmentados” é composta pela coleção da Fundação Eugenio Granell, de Santiago de Compostela, que integra desenhos, pinturas a óleo e gravuras.

“Esta exposição leva-nos numa viagem pela obra de Philip West, com múltiplos fragmentos emblemáticos e transformadores da sua selva de objetos”, refere o comunicado, adiantando que “grande parte” dos trabalhos remonta aos inícios da década de 90 do século passado.

O comunicado explica que West “recria objetos do quotidiano no seu mundo imaginário, num universo fantástico e irreal, assumindo a máxima do surrealismo nas suas obras: liberdade, amor e poesia”.

“A sua obra expõe um misto entre realidade e sonho, vida e morte, céu e terra, homem e anjo, num ciclo iconográfico e de poesia visual, resumindo a vida, o amor e a morte”, acrescenta.

A mostra vai estar patente ao público até 02 de outubro.

Philip West nasceu a 20 de fevereiro de 1949, na cidade de York, em Inglaterra, mas em 1974 fixou residência em Saragoça, onde morreu, em 24 de junho de 1997.

Em 1976, ilustrou a coleção de poemas de Aranda “Circunstancias atenuantes”, que contou com o prefácio de Mário Cesariny, publicado em 1990, pela editora Libros Portico.

Foi ainda tradutor, destacando-se a tradução para inglês do livro “Poemas de Luis Buñuel”.

Legou à Fundación Eugenio Granel a sua coleção artística e documental, que, além de desenhos, pinturas a óleo e gravuras, integra ainda uma biblioteca no âmbito do surrealismo.

Leia Também: ‘Mulher sentada junto a uma janela’ de Picasso vendida por 85 milhões

Deixe um comentário