Cruzes, Credo, Canhoto. Obras de Bordalo II versam sobre abusos na Igreja

São quatro obras da autoria de Bordallo II e pretendem chamar a atenção para os alegados abusos sexuais ocorridos na Igreja Católica, em Portugal. Da série ‘Cruzes, Credo, Canhoto’, uma delas mostra, por exemplo, um crucifixo coberto por bonecos de peluche. 

Noutra, num sinal de trânsito, duas crianças são ‘marionetas’ nas mãos de um sacerdote. Uma outra instalação ‘usa’ também estes sinais, colocados nas portas de uma igreja, avançando que aquele local é ‘interdito’ a maiores de 18 anos. 

Por fim, na última obra, Jesus é substituído por um boneco simbolizando uma criança. 

Na legenda das quatro imagens, partilhadas pelo artista no Instagram, no passado dia 21 de outubro, Bordalo II mostra a sua posição quanto a este assunto: “Quantos predadores sexuais e molestadores de crianças haverá escondidos atrás de cortinas douradas? Aparentemente, nunca os suficientes para fazer a Igreja e os seus crentes tomar uma posição séria”.

“À semelhança do que acredito ser o dever da sociedade, também nós artistas temos que usar a nossa voz para defendermos aquilo que está certo e aqueles que não se conseguem defender. Temos que adotar uma atitude critica, principalmente em temas tabu como este e ser parte ativa da mudança”, termina a mensagem.

Leia Também: Bispo da Guarda diz que “sempre comunicou” denúncias por abuso de menores

Deixe um comentário