"Decidi para mim mesmo que não iria à Festa do Avante. Eu sou o Avante!"

Dino D’Santiago foi um dos artistas a atuar na polémica edição deste ano do Avante. A rentrée comunista e artistas convidados foram alvo de críticas devido ao posicionamento do PCP em relação à guerra na Ucrânia.

Numa publicação partilhada pelo certame no Twitter, pode ouvir-se o músico após o concerto. 

“Quando fui anunciado para a Festa do Avante senti um transbordar de alegria enorme e profunda por fazer parte desta festa (…) mas infelizmente o medo é o grande controlador da humanidade, e o facto de muitas vezes não sabermos quem somos de verdade  e sermos tantas vezes o reflexo daquilo que os outros projetam em nós, a nossa cobardia, às vezes, é a máscara perfeita para aqueles que querem silenciar as nossas vozes”, começa por dizer. 

Revelando uma conversa com o pai, que temia o impacto da sua presença, e revelando a sua própria dúvida em estar na 46.ª edição da Festa do Avante, o artista diz que olhou “para a história e para quem fez a diferença”, tendo decidido ir. 

“Eu decidi para mim mesmo que não iria à Festa do Avante. Eu sou o Avante! Eu sou o Avante!”, afirmou. 

“(…) quando olhei para dentro e olhei para história e olhei para quem fez a diferença, eu decidi para mim mesmo que não iria à Festa do Avante. Eu sou o Avante! Eu sou o Avante!”

Estamos juntos @DinodSantiago!#naohafestacomoesta pic.twitter.com/eCRegZc0hW

— Festa do Avante! (@festaavante) September 4, 2022

O certame político-cultural decorreu este fim-de-semana na Quinta da Atalaia. 

Leia Também: Avante! foi um “êxito” apesar das “mentiras e desprezíveis chantagens”

Deixe um comentário